Resumo da entrevista de Paulo Guedes, na Expert XP 2020

Highlights

Reforma tributária:

– imposto sobre transação: estudando base ampla

– imposto dividendos: sim

– imposto renda pessoa jurídica: vai diminuir

Retomada à vista

Renda Brasil ao final do auxílio emergencial

Acelerar programa de privatizações

Fica até o final do mandato? Só sai abatido à bala.

Reforma tributária

Está pronta. O plano era entrar no começo do ano, o COVID atrapalhou.

Tem imposto sobre valor agregado – IVA.

O esforço na calamidade pública do COVID foi do tamanho de 10% do PIB.

A democracia brasileira andou. Talvez um pouco lenta, mas andou. Recursos foram disponibilizados. Não faltaram recursos para a saúde.

Sobre Retomada

Há sinais interessantes:

– consumo de energia elétrica só 4% abaixo de junho do ano passado

– notas fiscais eletrônicas 70% acima de junho do ano passado

– exportações praticamente iguais no primeiro semestre

– construção civil contratando 5.000 pessoas

– deve vir boom imobiliário de uns 10 anos, por conta de baixos juros. Outro efeito é o alongamento de prazos, atualmente 20, 30 anos para financiar imóvel, pode subir para 40, 50 anos

– melhor mês para Caixa Econômica Federal, em liberar recursos para construção

– o consumo em geral, bens duráveis, voltando

Sobre velocidade de recuperação

É muito cedo para ser pessimista.

Com COVID, caiu rápido, mas deve ter retomada constante, um pouco mais lenta. Um símbolo como o da Nike, V da vitória.

Ele vê crédito finalmente chegando e destravamento de investimentos.

O programa social de R$ 600 deve diminuir, até se consolidar no programa Renda Brasil.

Pergunta sobre impostos de transação

Na reforma política, existe a economia e a política. Os tempos são diferentes para cada.

Tem que começar sobre o que une a política, e não sobre o que desune.

Os impostos atuais são terríveis, mal formulados, regressivos. Ele quer imposto sobre valor adicionado.

Impostos sobre transações eletrônicas: é o setor que mais cresce, é interessante.

Pergunta: qual a sustentabilidade da dívida?

É um tema muito importante. Compromisso com controle de gastos. O descontrole levou à desindustrialização, juros enormes, corrompeu e estagnou a economia.

Este foi um ano excepcional por conta do combate à pandemia.

Ano que vem volta ao normal.

As três principais despesas foram derrubadas: privilégios da previdência, os juros da dívida, salários do funcionalismo congelados por dois anos.

Historicamente, a parte fiscal era frouxa, levando Brasil a se endividar como uma bola de neve.

Também foi feita uma desalavancagem dos bancos públicos.

Tudo isso levou os juros a desabarem.

A relação dívida PIB reduziu de 76,5% para 75,8% no primeiro ano.

Os gastos ano que vem estão relativamente contidos.

Tem que mostrar ano que vem. O que vai destravar a economia é o investimento privado.

Sobre Renda Brasil

A ajuda da pandemia atinge 38 milhões de pessoas.

No máximo 10 milhões serão incluídos no Renda Brasil.

Este vai pegar vários programas e focalizar num só. Atualmente o Bolsa Família é de R$ 30 MM, o Renda Brasil já encontrou recursos para R$ 50 MM.

Ex. de programas canalizados para o Renda Brasil: isenção para gastos de classes alta, desonerações.

Tem muito ralo em Brasília, escapa muito dinheiro em programas duplicados e defasados.

O congresso quer fazer, extremistas são minoria.

Tributação de dividendos? Mudança no imposto de renda PJ?

Desce imposto de renda pessoa jurídica, sobe imposto de dividendos.

O imposto de renda pessoa jurídica chega a 34%. As empresas desistem de criar empresas e vão para fora do BR. O país cresce quando há acumulação de capital e educação.

– imposto transação: estamos estudando ampla base

– imposto dividendo: sim

– imposto renda pessoa jurídica: vai cair

Sobre teto de gastos

Fizeram o teto e não fizeram as paredes.

Várias despesas indexadas: salários, benefícios da previdência, gastos de alguns ministérios.

O piso sobe todo ano. Com o teto fixo, vamos ser esmagados entre o piso e teto.

Duas alternativas. Ou sobe o teto ou não sobe o piso.

Se sobe o teto, causa inflação descontrolada, conforme já vimos antes.

Ou quebra o piso. E é bom, porque alocação de recursos é a essência da atividade política.

Atualmente, 96% estão carimbados, os políticos só decidem sobre 4%.

Brasil é gerido por um software, que somente corrige as despesas todos os anos.

As paredes são a reforma da previdência, administrativa, controlar trajetórias futuras e funcionalismo público.

É difícil, ministros e parlamentares querem manter recursos, tem gente defendendo furar o teto.

Sobre privatizações

Não basta apenas a vontade econômica, tem o lado político.

Vai acelerar nos próximos 90 dias, para não desmoralizar o programa de privatizações. O objetivo é aprovar 3 ou 4 grandes privatizações.

Se puder pegar o dinheiro das privatizações, vender reservas, isso ajuda a quebrar a dinâmica, a bola de neve de dívidas.

Não tem essa de toma lá dá cá, aparelhamento do centro. É uma agenda de reformas. A crise exige reformas.

Paulo Guedes fica até o final do governo?

Só sai a bala, abatido à força. Ele tem uma missão a cumprir.

A agenda da centro direita é liberal democrata. Não quer aumentar impostos, prefere regular os gastos.

Ampliar a base para mais gente pagar, porém, pagar menos.

Hoje em dia, há R$ 300 MM em desonerações. Quem tem poder político consegue ser desonerado.

Quem tem poder econômico vai para o contencioso: prefere pagar R$ 100 MM para advogados do que R$ 1 BI de impostos.

O BR historicamente é o paraíso dos burocratas, contenciosos, rentistas, e isso tem que acabar.

Enquanto tiver a agenda, ele continua.

Se o Presidente e o Congresso não quiserem a agenda, não tem o que fazer, aí ele vai para casa.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s