Finalistas do Edelman 2020

Forgotten Math

Parabéns aos finalistas do Prêmio Edelman 2020, promovido pela Informs!

São eles Amazon, Carnival PLC (maior empresa de cruzeiros do mundo), Deutsche Bahn (empresa de ferrovias alemã), IBM, Intel e Walmart. Só gigantes!

Ver o post original

A Meta – de Eliyahu Goldratt

Ganhei este livro do CEO da Klabin, Cristiano Teixeira, e gostaria de compartilhar aqui a indicação.

O livro “A Meta” é um clássico da administração. Diferente dos livros tradicionais, este ensina conceitos numa narrativa em forma de ficção. Alex Rogo é o gerente de uma fábrica em dificuldades, prestes a ser fechada por conta de péssimos resultados. Algumas frases:

Esta fábrica tem 4 níveis de prioridade: quente, muito quente, incandescente e faça AGORA!

(Quando o diretor ligou para a sua casa e ele não atendeu) Devido às circunstâncias, não posso dizer que tenho uma vida pessoal.

A cada seis meses a matriz aparece com um novo programa que é a nova panaceia para nossos problemas.

Eu costumava achar que trabalhar duro poderia resolver qualquer coisa.

Ele encontra um mentor, que guia em sua jornada:

(Após dizer que robôs tinham aumentado a produtividade de uma área). É mesmo, 36%? Então quer dizer que a sua empresa está ganhando 36% a mais com a instalação de alguns robôs?

Qualidade e eficiência são belas palavras. Entretanto, porque a Douglas não continuou fabricando o ótimo DC-3 para sempre?

A fábrica não foi construída para ter prejuízo. A empresa existe para ganhar dinheiro.

Estas e outras considerações fazem parte da Teoria das Restrições, explicada no livro.

“Tubarão”, um filme trash de Sessão da Tarde

O filme “Tubarão” (Jaws), de 1975, é um dos mais aclamados de todos os tempos. Contudo, poderia ter sido apenas uma produção tosca, um filme de terror B, se tivesse saído conforme planejado. 

Por ironia do destino, o que salvou o filme foram os inúmeros problemas ocorridos com o tubarão mecânico.

Foi um dos primeiros filmes do diretor Steven Spielberg, então com 27 anos.  O orçamento de 4 milhões de dólares já tinha estourado, assim como o prazo de 55 dias. Mesmo assim, a produção não conseguia fazer funcionar o tubarão mecânico, uma engenhoca complicada, comandada por roldanas a partir de outro barco, e que quebrava a todo instante. Houve dias que só aproveitaram segundos de filmagem. O filme, por pouco, não saiu. “Jaws” foi apelidado por “Flaws” (falhas) e o departamento de efeitos especiais foi chamado de departamento de Defeitos especiais.

Como fazer um filme de tubarão sem tubarão?

Spielberg teve que se virar com o que tinha. Inspirado por outro grande cineasta, o mestre do suspense Alfred Hitchcock, ele decidiu fazer um filme de tubarão sem tubarão: apenas sugerir a sua presença, minimizando a sua aparição – acompanhado de um tema musical aterrorizante e inesquecível – relembre abaixo.

Uma visão clara do tubarão só ocorreu após os primeiros 80 minutos do filme.

O poder da sugestão na cabeça das pessoas é tão grande, que o filme foi um sucesso.

Jaws é considerado o primeiro filme Blockbuster (arrasa-quarteirão) da história, um grande sucesso de crítica e de bilheterias. Conseguiu o maior faturamento até então (sendo superado, em 1977, por Star Wars).

Portanto, fica a lição. As dificuldades insuperáveis podem nos tornar melhores do que somos, se tivermos a coragem e a ousadia de enfrentá-las de modo inteligente.

Algumas curiosidades:

O compositor da trilha de Tubarão, John Williams, deveria ser lembrado para sempre na história. Ele criou várias outras trilhas icônicas e imortais: Star Wars, Indiana Jones, Super-Homem, etc…

“Você vai precisar de um barco maior”, é um bordão que virou clássico.

Spielberg não compareceu à gravação final do filme, por temer que a equipe o atiraria para dentro da água assim que ouvissem o último “corta”.

Havia três tubarões mecânicos, um só com o lado direito, outro só com o lado esquerdo, e um completo.

Spielberg apelidou o tubarão como “Bruce”, em homenagem a seu advogado, um tubarão dos tribunais.

“Fazer Tubarão me traumatizou por anos”, diz Spielberg.

Algumas fontes:

https://www.rottentomatoes.com/m/jaws

Click – como resolver problemas insuperáveis – David Niven

https://www.mentalfloss.com/article/64548/25-incisive-facts-about-jaws

https://www.newyorker.com/culture/culture-desk/the-unassuming-greatness-of-jaws

Qual a probabilidade de ganhar a Mega-Sena da virada?

Forgotten Math

São 60 números possíveis, e uma aposta tem 6 números. A fórmula é combinação(60,6). Isto dá uma chance em 50 milhões.

Com mais apostas, melhor a probabilidade.

Na loteria, é possível marcar mais números na mesma cartela.

Digamos, com 7 dezenas assinaladas, há o equivalente à Combinação(7,6) apostas = 7 apostas. É como se eu preenchesse 7 cartelas individuais e as submetessem, e multiplico a minha chance de ganhar por 7 (e também o custo de jogar).

É o mesmo resultado calculado neste site: https://www.sorteonline.com.br/mega-sena/probabilidades

Segue planilha para download aqui, para quem quiser mexer.

Entrando nas formulinhas, para quem gosta.

Da análise combinatória:

Combinação(n,p) = n! / (p! * (n-p)!)

Onde ! denota a função fatorial.

O Excel tem as funções combinação e fatorial pré-definidas, porém, é mais divertido reescrevê-las:

Function fact(n)

If n = 1 Then

fact = 1

Else

fact = n * fact(n – 1)

End…

Ver o post original 122 mais palavras

Como cumprir as metas de 2020

Nesta virada de ano, algumas reflexões para ajudar na disciplina de perseguir metas.

Em primeiro lugar, é importante definir as metas. Se você não souber para onde quer ir, ninguém mais saberá.

As metas devem ser desdobradas em sub-metas, tais como pontos de referência num mapa.

Elas devem ser específicas, alcançáveis e mensuráveis. E com prazo.

De nada adianta ter vários desejos, e nenhuma disciplina em persegui-los. Toda a lista deve ser transformada numa ROTINA, a ser executada diariamente ou semanalmente.

Ex. Uma meta de perder peso pode ser desdobrada numa rotina diária, como não consumir refrigerantes e snacks, por exemplo. Ou, digamos, uma meta de escrever um blog, desdobrar para uma postagem por semana. Outra dica é, para cada dia que você executa a rotina, colocar um xis num calendário.

Apurar o resultado a cada 3 meses, até o final do ano. No final de 2020, fazer uma avaliação do que foi cumprido e do que não foi, e os motivos.

Ideias não movem montanhas

“As ideias não movem montanhas. Escavadeiras, sim. As ideias orientam ondem as escavadeiras devem ir e o que devem fazer” – dizia o grande Peter Drucker.

Lembrei da excelente frase acima. Esta semana, estou mudando de apartamento. Não estou acostumado a trabalhos físicos. Meia hora carregando caixas e já estou exausto, pedindo água.

Uma mudança não tem muita teoria, e sim, muita prática. Retirar as coisas dos armários, limpar, colocar em malas e caixas, transportar, desempacotar e arrumar no novo local. Não tem otimização, não tem Analytics nem modelos avançados, é muita força física mesmo.

No mundo, ir para a prática sem teoria é ruim, porque certamente haverá desperdício de esforço físico – e tempo e dinheiro para consertar os erros. Porém, teoria demais sem prática também é ruim, porque é impossível fazer acontecer algo só com ideias, sem bulldozers; só inspiração, sem transpiração; só com modelos, sem execução.

Qual seria uma boa proporção?

Numa obra de engenharia, o custo com projetos e planejamento é de uns 5% a 10% dos custos totais, normalmente.

Outra analogia é com o cérebro. O cérebro de um humano adulto consome uns 20% da energia total do corpo. Teria que descontar daí as funções básicas para manter o corpo humano (ex. regular temperatura, enxergar, controlar movimentos), porque não são exatamente funções de planejamento. Não tenho muita ideia de quanto isso exige, mas sei que um Albert Einstein não precisava comer muito mais do que uma pessoa comum. Se fazer cálculos complexos e viajar aos confins do espaço-tempo necessitasse de grande energia química, Einstein teria que comer como o nadador recordista olímpico Michael Phelps (3 sanduíches, omelete com 5 ovos, cereais, torradas e 3 panquecas, só no café da manhã!).

Baseado nas informações acima, sem ciência alguma e dando um chutão, eu diria que o cérebro também consome em torno de 5% a 10% da energia de uma pessoa em funções de teoria e planejamento, e o resto em execução (manter-se vivo).

E agora, permita-me voltar a carregar as caixas!

https://www.brainfacts.org/brain-anatomy-and-function/anatomy/2019/how-much-energy-does-the-brain-use-020119

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Pequim2008/Noticias/0,,MUL723450-16072,00-MICHAEL+PHELPS+E+SUA+ABSURDA+DIETA+DE+CALORIAS+DIARIAS.html

Estrela em VBA

Estrela Geométrica – em VBA

Ferramentas em Excel-Vba

Como é época de Natal, a seguir um código para desenhar uma estrela só utilizando segmentos de reta e geometria, para alegrar as festas.

Imagine duas retas perpendiculares.

Cada reta recebe N divisões.

Agora, uma o primeiro ponto do eixo X ao ponto logo acima do meio do eixo Y, o segundo ponto do eixo X ao próximo ponto acima do eixo Y, e repita até o fim.

O comando VBA para adicionar uma linha é, basicamente:

ActiveSheet.Shapes.AddLine(x0, y0, x1, y1)

E tem outros comandos para colorir, informar a espessura e controlar. Mas, basicamente, o único comando especial é esse de criar retas.

O resultado não impressiona muito. Porém, se aumentarmos o número de pontos, fica mais divertido.

Com 10 pontos:

Com 20 pontos:

Com 35 pontos:

Não sei exatamente o nome desta curva, porém, a técnica é muito conhecida na matemática.

Planilha para download no Github: https://github.com/asgunzi/EstrelaGeometrica

Ver o post original