Vai faltar gente na superpopulosa China

Um em cada cinco habitantes da Terra é chinês. Mas, mesmo assim, vai faltar gente na China.
Não que vá faltar gente em termos absolutos. Mas o mix de pessoas está gravemente desequilibrado, e isto está causando e irá causar distorções devastadoras num futuro não muito distante.
 
Pessoas respondem a incentivos, dizem os economistas. E um dos principais incentivos desta distorção é a famosa política do filho único, abolida recentemente.

 


China, 1978

Em 1978, a China era um país agrário, miserável, e com quase um bilhão de pessoas. A grande maioria crianças, com poucos idosos, numa típica pirâmide populacional com base larga, conforme a figura a seguir.

China1975

(Gráficos do excelente site http://populationpyramid.net/)

Poucas décadas antes, Mao Tsé e o partido comunista tinham incentivado o crescimento populacional. Mas, agora, eles estavam preocupados com a capacidade de sustentar tantas pessoas, e resolveram adotar a política do filho único.
 
Esta política incentiva que os casais tenham apenas um filho. Se eles tiverem mais filhos, há corte de benefícios, multas e até casos de esterilização forçada.

 


 

China, 2015

Os efeitos da política de filho único foram sentidos desde a sua implantação. Realmente, o crescimento populacional diminuiu, e algumas fontes estimam que 400 milhões de nascimentos deixaram de ocorrer – imagine, é quase duas vezes o tamanho do Brasil.
 
Mas agora, a China será o país que mais vai envelhecer no mundo. A pirâmide populacional é algo assim. Uma geração de crianças muito menor do que a geração de idosos.

China2015

A política do filho único não foi a única causa desta mudança. O avanço da medicina no mundo todo permitiu que as pessoas vivessem por mais tempo. A industrialização acelerada da China, e o aumento do padrão de vida tiveram o mesmo efeito que ocorre nos países desenvolvidos: colocar um filho no mundo, cuidar e pagar uma educação de qualidade, torna-se caro demais. A taxa de natalidade despencou em todos os países industrializados.
 
Uma implicação é o fenômeno 4 – 2 – 1. Quatro avós, dois pais, um filho. Uma pirâmide invertida. Os idosos vivendo mais, e como cada casal tem um filho apenas, chega o momento em que uma pessoa terá que sustentar 6: dois pais e quatro avôs.
 
Outra implicação é a do “imperador solitário”. Sendo apenas um filho, este é extremamente valioso aos pais, tendo a tendência de superprotegê-lo.


 

Mais homens que mulheres

Outra distorção bizarra é entre gêneros. A proporção entre nascimento de homens e mulheres na China é de 118 homens para 100 mulheres. Isto porque, de novo, pessoas respondem a incentivos.
 
O plano de previdência de um chinês é o seu filho. Se o filho for mulher, o casal de idosos vai ficar por si só, porque a mulher não tem a obrigação de cuidar dos pais. A obrigação de cuidar dos pais, numa cultura confucionista, cabe ao filho homem mais velho. Portanto, se é para ter um filho só, os chineses privilegiam que o primeiro filho seja homem. Nem que, para isto, tenham que cometer infanticídio de suas filhas, que é um fato horrível muito relatado.

Gendercide

Esta distorção de gênero é tão forte que a China teve que relaxar a política de um filho. Agora, poderiam ter dois filhos, se o primeiro fosse mulher.

Itsagirl

O que acontecerá é que 20% dos homens adultos ficará sobrando, solteiro. Estima-se 20 milhões de homens solteiros. Ter dezenas de milhões de homens solteiros não é algo muito bom. Provavelmente o excesso de testosterona vai extravasar de alguma forma, seja em instabilidade política, seja em picos de violência de uma forma ou de outra. E, para as mulheres, será pior ainda, porque tenderá a haver um sentimento de controle maior ainda por parte dos homens.
 
Uma implicação cruel desta distorção é a pressão por moradias. Assim como pássaros fazem um ninho bonito para atrair a fêmea, os homens jovens endividam-se pelo resto da vida financiando um imóvel. Isto para aumentar suas chances de acasalar, quase como no reino animal. De quebra, ainda inflaciona o mercado imobiliário, e aumentando o risco de uma bolha especulativa no setor (que talvez exploda em algum momento).


 

Relaxamento da política de filho único

Há muitos anos a política de filho único vem sendo relaxada, por ser insustentável a longo prazo. Se a primeira filha for mulher, o casal pode tentar de novo. Se o homem e a mulher são filhos únicos, eles podem ter mais filhos (a fim de evitar o 4-2-1). E, recentemente em 2015, aboliram de vez a política do filho único.
 
Mas é tarde demais. Por mais que a política de filho único seja relaxada, não dá mais tempo de mudar esta distorção. Em muitos casais, a cultura do filho único já está enraizada. E, nas grandes cidades desenvolvidas, as pessoas estão casando mais tarde e tendo menos filhos.
Talvez em algumas gerações isto tudo se ajuste, mas não num futuro próximo. Como dizia o grande mestre Peter Drucker, a demografia é uma bomba relógio.


 

China, 2030

Nota-se que os picos populacionais fazem a pirâmide subir, sem mudar o perfil. Uma grande massa de pessoas vai começar a sair do mercado de trabalho, por problemas relacionados a idade, e não haverá um número suficiente de pessoas para substituí-las. Além disso, haverá muito mais homens que mulheres. Vão faltar jovens na China. Vão faltar mulheres na China.
 
Uma forma de aliviar o problema seria “importando” jovens através de imigração, como ocorre em países como o Canadá. Mas a China é notoriamente xenófoba, dificilmente isto daria certo. O caminho inverso, exportar pessoas, pode aliviar o problema do gênero, mas piora o problema da idade.

China2030


 

China, 2050
A China deixou de ser, há muito, a oficina do mundo. Há capacidade fabril sobrando, mas o parque industrial está velho, com pouca renovação. A China envelheceu antes de ficar rica. Não deu nem tempo de virar classe média.
 
O relaxamento da política de filho único, ocorrido nos anos 2010, ajudou mas não resolveu o problema do envelhecimento da China.
 
Há poucos jovens e muitos idosos. Estes últimos não têm como se sustentar decentemente, vivendo em situação miserável.

China2050

China_PopulationCurve

O pico populacional ocorreu por volta de 2025. Depois disto, há diminuição populacional.

 

O futuro não apresenta perspectivas muito melhores. Talvez as distorções se ajustem em duas ou três gerações.
 
A política do filho único atingiu o seu objetivo, que era o de diminuir a superpopulação chinesa. Deu certo até demais, passou do ponto. E mostrou-se um tiro pela culatra.

 

http://news.nationalgeographic.com/2015/10/151030-china-one-child-policy-mei-fong

http://www.bbc.com/news/world-asia-34665539

https://threechinguz.wordpress.com/2015/02/02/its-a-girl-2014-documentary-review/

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s