Sou um infrator terrível, uma ameaça à humanidade 

Algumas reflexões sobre a “Suspensão do direito de dirigir”, punição aplicada pelo Detran. 

Num belo dia, recebi uma carta do Detran, informando que minha Carteira Nacional de Habilitação (CNH) seria suspensa por três meses, devido à uma infração gravíssima que eu cometera tempos atrás. 

Me senti um infrator terrível, uma ameaça à humanidade, um bandido. Multa eu tomo de vez em quando, normal, mas era a primeira vez que tinha incorrido em algo tão pesado assim. 

Qual era a minha infração gravíssima? 

Velocidade acima de 50% em relação à permitida. Na carta da multa, estava a velocidade: 64 Km/h. Explico. Era um trecho de acesso à rodovia na região de Itu. Tinha um radar e uma placa de velocidade máxima 40 Km/h, que estava mal sinalizada e só vi depois que já tinha passado. 

Realmente, se a velocidade permitida era de 40, 50% acima disso seria 60, e eu estava a 64. Só que, imagino, essa infração seria realmente gravíssima se eu estivesse a 240 Km/h numa rodovia de 110 Km/h. Em termos absolutos, 64 Km/h não parece algo tão gravíssimo assim. 

Para piorar, essa era a única multa que eu tinha tomado nos últimos 2 anos. Uma única multa, suspendendo a CNH. Não era por excesso de pontos, nada assim, foi essa única multa a 64 Km/h a responsável.

Recorri pelo próprio site do Detran, utilizando mais ou menos os argumentos acima, e também utilizando um argumento adicional de que a multa demorou um ano para chegar (e eu tinha lido em algum lugar que deveria chegar em 6 meses). 

Porém, fiquei sabendo que o Detran só aceita argumentos técnicos, letra fria da lei. Argumentos do tipo “sou bonzinho, não tomei nenhuma outra multa, alivia aí por favor” não funcionam nem um pouco. 

Uns 8 meses depois, recebi outra carta, dizendo que eu tinha perdido, e que poderia recorrer de novo em segunda instância. Recorri, só que não tinha nenhum argumento técnico concreto, só o de que a multa tinha demorado demais para chegar – e isso também não era nada sólido. 

Essa segunda instância demorou um tempão. Algo como um ano e meio. Foi na época da pandemia, isso deve ter atrasado todos os processos. 

Finalmente, meses depois, chega outra carta dizendo que eu tinha perdido novamente. Seria possível recorrer de novo, mas como estava de saco cheio disso, resolvi encarar a punição. 

Sobre a punição pela infração gravíssima. A multa eu já tinha pagado faz tempo. Mesmo dentro do gravíssimo, tem o gravíssimo normal, o 2x, o 3x, etc, de forma que a multa poderia ser muito pesada. No meu caso, foi o “gravíssimo não tão grave assim”, de modo que a multa financeira nem pesou tanto. 

O que realmente foi muito pesado foi o curso de reciclagem para infratores. Pesado em termos de tempo e atenção necessários. 

Fui em um Centro de Formação de Condutores credenciado me matricular. O curso é 100% on-line, o que é bom, por não exigir presença física numa sala de aulas. 

Como esse curso garante que a pessoa realmente faça o curso? 

– Foto a cada vez que você entra e sai do sistema 

– Tempo mínimo para fazer cada módulo do curso 

– Simulado de questões a cada final de módulo 

Essa do tempo mínimo é bem chata, porque eram tempos do tipo 9h para um módulo, 6h para outro, etc. Para quem lê rápido, como eu, teve módulo que fiz em 3h, e tinha que ficar mais 3h ali, de alguma forma enrolando on-line. 

Saiu muito mais caro em termos de tempo e esforço do que apenas pagar uma multa. Isso porque tenho pouco tempo livre com capacidade de atenção útil, e normalmente uso esse tempo para ler, escrever, criar algo – vide o meu blog de ideias ou o de Excel, por exemplo. E esse tempo também concorre com o trabalho. Tiveram semanas inteiras tensas, ou de viagens, que não consegui focar no curso de reciclagem. 

Depois de 2 meses e meio iniciado o curso, finalmente terminei. Faltava a prova final. 

A prova final é presencial, no Centro de condutores. Tem uma câmera filmando você durante todo o tempo. A cada 10 minutos, o sistema pede para inserir uma digital (tem equipamento de biometria) e tirar uma foto. Certamente, tudo isso a fim de mitigar as inúmeras fraudes que um processo assim deve ter. 

A prova final, 30 questões, necessidade de acertar 70%. Fui aprovado, acertei 28 das 30. 

A prova final foi feita para passar com mínimo de esforço. Quem minimamente estudou o conteúdo do curso tem total condições de passar. E o objetivo do curso de reciclagem não é reprovar ninguém, muito pelo contrário, é ensinar um pouco de legislação, o que fazer em caso de acidentes, bom convívio no trânsito, etc… 

Reflexão: a teoria é muito boa. Gentileza no trânsito, preferência de pedestres, observar orientação das placas e sinalizações. 

Na prática, basta um passeio pelas ruas de São Paulo ou qualquer grande cidade, para ver inúmeras infrações sendo cometidas. Motoqueiros atravessando farol vermelho, cortando carros a torto e a direito. Motoristas forçando ultrapassagem, em velocidade muito acima do bom senso. Numa faixa de pedestres em cruzamento sem farol, a preferência deveria ser do pedestre, mas os carros vêm à alta velocidade e é o pedestre que aguarda os carros. Motoristas buzinando de forma irritante por qualquer motivo. Rodovia com velocidade de 110 Km/h e um metido a bonzão vindo a 180 Km/h mandando aquelas piscadelas de farol do tipo “sai da frente” (aliás, isso uma vez gerou uma pequena vingança satisfatória). 

Outro fator peculiar é beber e dirigir. Sendo grande causa de acidentes, a punição é muito pesada, e qualquer nível mínimo de álcool já é suficiente para a multa. Entretanto, em qualquer aglomeração de pessoas nas festas de fim de ano, vemos pessoas bebendo e dirigindo. Para mim, uma cerveja causa pouco efeito, a segunda já começa a entorpecer o raciocínio. Para cada um, o efeito é diferente, e como o bom senso é um negócio complicado, imagino que as autoridades de trânsito resolveram ser legalistas ao extremo, e passar a mensagem: não beba de modo algum se for dirigir. 

Só que o problema, de qualquer solução legalista demais, é ser inviável de cumprir na prática. É ser pesado demais para quem cumpre tudo certinho, e leniente demais, na prática, para quem anda todo errado. 

As leis do código de trânsito são boas, as orientações desses cursos são excelentes. Como reinforçar tudo isso na prática? É esse o desafio. 

Bom, quanto a mim, não quero tomar outra suspensão de CNH tão cedo. Vou andar devagar, cumprindo as normas de trânsito. Não é difícil. E, se todos os fizerem, realmente teremos um ecossistema de trânsito muito mais agradável. 

Mensagem do icônico Profeta Gentileza: Gentileza gera Gentileza.

Nota. A primeira imagem foi gerada com a inteligência artificial Dall-E. 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s