Três lenhadores

Dois lenhadores, um fortão e um velhinho sábio, fizeram uma competição para ver quem derrubava mais árvores.

O fortão ficou o tempo todo firme nas machadadas. Não parava de trabalhar. E, vira e mexe, olhava para o lado, e lá estava o lenhador velhinho parado, como se estivesse descansando.

https://i1.wp.com/regionnews.net/by/wp-content/uploads/sites/9/2016/07/L-fpSoOi.jpeg

No final das contas, o velhinho ganhou. “Como?”, o fortão pensou?

“É que eu não estava parado à toa, eu estava afiando o machado“, respondeu o mesmo.

Moral da história: De tempos em tempos, temos que parar para afiar o machado.


 

Aos dois lenhadores da história, acrescento um terceiro, o lenhador acadêmico.

Este lenhador, ouvindo a história acima, partiu para uma outra estratégia.

Desafiou o lenhador sábio, e lá foi ele competir.

O lenhador velhinho alternava o trabalho de cortar a madeira com o ato de afiar o machado. Já o lenhador acadêmico ficou 80% do tempo disponível afiando o machado. Quando ele finalmente foi para o trabalho, para cortar a primeira tora, o que aconteceu? O fio do machado se quebrou, de tão desgastado que estava, e agora o machado estava cego. O lenhador acadêmico perdeu não só do sábio, mas do fortão trabalhador também, na verdade, não produziu uma única tora.

Moral da história: Afiar demais o machado também é ruim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s