Gênios idiotas e Idiotas gênios

Que tal recitar de cabeça 22 mil casas decimais do número pi? Ou aprender islandês em 7 dias? Coisas de gênio? Não. Na verdade, coisas de um cara normal se passando por um deficiente mental para parecer gênio. Não entendeu nada? Vamos lá.
 

PiDecimalPlaces.jpg

 
O termo “idiot savant” (idiota sábio) refere-se a pessoas que têm uma síndrome muito especial: são autistas que possuem uma capacidade absurda em alguma coisa específica, como memória, música, arte. Um autista tem uma capacidade extremamente limitada de comunicação, contato social. Há vários graus de autismo.
https://en.m.wikipedia.org/wiki/Savant_syndrome
O filme Rain Man descreve uma pessoa especial assim.
 
Outro dia, li numa superinteressante sobre um cara que seria o “elo perdido” entre o idiot savant e as pessoas comuns. Um sujeito com capacidade mental assombrosa, mas que tinha poucos ou nenhum sintoma de autismo. Era um ex-autista, pelo que entendi. Alguém chamado Daniel Tammet, capaz de recitar 22 mil casas decimais do pi, e de aprender islandês em 7 dias. Ele gostava tanto de línguas que tinha até criado a sua própria língua!
 
Já que ele era um autista que não era autista, ele seria capaz de descrever com precisão como é que ele fazia essas coisas. Sobre multiplicação e divisão de números gigantes, ele dizia que cada número era uma forma e uma cor, e que quando ele colocava os números lado a lado, ele “enxergava” o número que estaria faltando. Era a “cinestesia”, capacidade de sentir, ver, tocar algo abstrato. Opa! Que método interessante, pensei.

 

number_flash_cards.png

Passei dezenas de anos estudando um monte de matemática difícil, e tem uns posts aqui neste blog sobre matemática visual, pitágoras visual, dodecaedro mágico, Escher, etc. Seria interessante conhecer este tal método de encaixar formas coloridas, pensei. Mas tinha um problema. Este método do Tammet não era um método. Procurei e não há nenhuma descrição melhor deste método cinestésico. Ele simplesmente olhava os números e enxergava a resposta.
 
Alguma coisa estava errada. Do que sei de matemática desde os gregos até hoje, não há um único método de encaixar formas coloridas para multiplicar e dividir num relance. Muito menos considerando números gigantes como os dos testes que o tal Tammet fazia. E o fato de um número ser rosa e o outro azul não ajuda em nada. Além disso, só há algumas dezenas de cores distinguíveis, não milhões de cores. O que há sim, amplamente disponível na internet, são métodos para fazer multiplicação algébrica de cabeça.
 
Procurei mais, e descobri Joshua Foer. Ele é um jornalista americano que cobriu um campeonato mundial de memória. Ele é uma pessoa comum, que viu os concorrentes do campeonato decorando sequências de vários baralhos, fazendo multiplicações imensas de cabeça, etc. E ele passou um ano treinando com os melhores atletas da memória do mundo, e no ano seguinte conseguiu vencer o campeonato mundial de memória.
 
Foer afirma que Tammet já participou de campeonatos de memória, e que esta é a verdadeira causa de sua memória assombrosa. Tammet até estava tentando ensinar métodos de memorização, há tempos atrás. Ele tem um uma capacidade imensa de memorização, mas é tão treinado quanto qualquer outro atleta mnemônico de alto nível. Aliás, qualquer atleta mnemônico de alto nível conseguiria o que ele consegue fazer.
 
Pode parecer impressionante para uma pessoa comum, mas qualquer coisa que um atleta treinado faz é muito superior ao de um ser humano comum. Correr 100 m em 10 segundos está além da capacidade de muita gente, mas os atletas de ponta conseguem. Dar mil embaixadinhas seguidas é muito para uma pessoa comum, mas não é raro ter pessoas que conseguem.
 
A grande questão sobre Tammet não é a capacidade mental, que sem dúvida é alta, mas inventar que é um idiot savant e que vê formas e cores quando na verdade usa técnicas de memorização.
 
Por exemplo, recitar pi. O recorde é de 70 mil casas decimais. Tammet aparece na lista com menos de 3 mil casas, e tem 50 pessoas antes dele no ranking. Não sei da onde vem o número anterior de 22 mil.

http://www.pi-world-ranking-list.com/index.php?page=lists&category=pi
 
Sobre aprender islandês em 7 dias. Alguém que gosta de línguas pode saber muito bem como usar regras gramaticais. Quem sabe bem memorização, decora uma lista de 3 mil palavras mais utilizadas em alguns dias. E consegue se virar numa conversa simples.
 
Sobre criar a própria língua, muitos linguistas também são capazes de fazer. É fruto de estudo, e não de uma habilidade autística.
 
Talvez o tempo diga se ele realmente vê cores e formas virando números, ou se está apenas inventando a história. Se ele enxergar algo assim, espero que divulgue o como, porque vai revolucionar o ensino de matemática no mundo. Enquanto isso, ele vai vendendo a ideia romântica de que é um autista que conseguiu vencer o autismo e é capaz de feitos incríveis como multiplicar números vendo suas formas. Com certeza, é uma história muito mais legal do que falar que usa técnicas de memorização.
 
Recomendo o excelente livro “Moonwalking with Einstein”, de Joshua Foer.

 
Não dá para memorizar 22 mil casas decimais de pi, mas saber técnicas de memorização ajuda muito para decorar a lista de compras da feira!

moonw.jpg

 

 

Arnaldo Gunzi

Nov 2015

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s