Pequena enquete interior

Mais dinheiro, mais trabalho, cargo maior, mais sucesso, mais beleza, carro novo, viagem ao exterior, vinhos chilenos, relógios importados?

 

 

Ou

 

 

Mais amigos, mais família, mais natureza, mais presente, mais saúde, mais música, mais estudos e mais simplicidade?

 
A resposta é de cada um de nós.

 

 

Conjectura de Goldbach

A matemática contém algumas afirmações que são extremamente fáceis de serem formuladas, mas extremamente difíceis de serem resolvidas.

2000px-Goldbach_partitions_of_the_even_integers_from_4_to_50_rev4b.svg

A conjectura de Goldbach é um caso desses:

“Qualquer número par pode ser descrito como a soma de dois números primos”.

Números primos são aqueles que são indivisíveis por outros números, como 2, 3, 5, 7, 11. Alguns exemplos da conjectura.

4=2+2

6=3+3

8=3+5

10=3+7

100=53+47

É uma “conjectura” porque ninguém conseguiu prova-lo, em quase 300 anos. E a sua fama provém não da conjectura em si, ou da utilidade prática, mas porque grandes mentes já tentaram prova-la e não conseguiram.

Uma coisa irônica nisto é que o computador pode ajudar a provar alguns teoremas, mas o melhor computador do mundo não vai ajudar nada em outros. Isto porque as provas da matemática requerem que a validade seja para todos os números. Sempre vai haver um número impossível de ser computado (seja ele 10^100000, 10^1000000000). É possível escrever programas de computador para testar números muito grandes, mas não para testar todos os números. O computador serve mais para “desprovar”, no caso de achar um número que não atende a conjectura, ou para aumentar os indícios de que o caminho está correto, mas não para provar.