A magnífica Xanadu de Kublai Khan

“Vou contar para você sobre a grande e maravilhosa magnificência do Grande Kaan reinante, de nome Cublay Kaan, Kaan sendo o título que significa ‘O lorde dos lordes’, ou Imperador” – Marco Polo.

Estive a ler o livro “A brief history of Khubilai Khan”, da foto abaixo.

Este livro tem uma história muito particular. Comprei numa livraria na cidade de Toronto, Canadá. Estava voltando de um congresso, na companhia do meu grande amigo Diego Piva, faz uns 5 anos. O preço está na capa, 7 dólares canadenses – vide a foto. Naquela época, o real ainda tinha algum valor, o que tornava o livro barato.

Xanadu era a capital do império mongol de Kublai Khan, neto do legendário conquistador Genghis Khan.

Após unificar toda a Mongólia, o exército de Genghis Khan passou a devastar reinos vizinhos. O seu império chegou à parte da Rússia, Oriente médio, e norte da China.

O termo “horda”, normalmente em referência à falfeitores, veio do nome das tendas, ou sede do poder dos mongóis.

Após a morte de Genghis Khan, e brigas entre descendentes, chegamos à linhagem de Kublai Khan. Este é conhecido na cultura popular, porque é o império descrito por Marco Polo em sua viagem à China.

“Xanadu” não é um nome muito chinês. Numa transcrição mais moderna, seria “Shangdu”. Esta era a capital do império mongol de Kublai.

Kublai Khan. fonte: Wikipedia

A parte sul da China era dominada pelo Império Song. Herdando a voracidade expansionista de seu avô, Kublai empreendeu a conquista do Império Song e a unificação da China sob o seu comando, fundando a dinastia Yuan.

Fato curioso: o império Mongol conquistou a China militarmente, mas, culturalmente, os ritos e tradições chinesas continuavam a valer. É mais ou menos como Roma dominou a Grécia militarmente, mas a cultura grega era tão mais avançada que influenciou fortemente a primeira.

Império Yuan, pegando parte da Mongólia, China, Coreia e outros países atuais. Fonte: Wikipedia

A Coreia também acabou sendo dominada por Kublai Khan. Não houve invasão, eles apenas se submeteram ao comando mongol.

Após a queda da China, outros impérios da região eram o Vietnã e o Japão.

Kublai empreendeu duas tentativas de invadir o Japão. Por ser uma ilha, a invasão teve que ser pelo mar – num local extremamente distante da capital chinesa, logisticamente complicada, e, também, sem aparentar ter alguma riqueza espetacular para os invasores. Já os defensores tinham todo o interesse em rechaçar o ataque, e empreenderam resistência feroz.

O Japão teve um empurrãozinho dos deuses da guerra: em ambos os ataques, tempestades destruíram a esquadra chinesa no mar. Daí, surgiu o termo “Kamikaze”, o vento divino, o mesmo termo utilizado pelos soldados suicidas japoneses na Segunda Grande Guerra.

Este evento marcou o início do declínio da dinastia Yuan, também com diversos outros problemas: a rivalidade de outros descendentes mongóis, rebeliões chinesas, etc.

Há várias citações à Kublai Khan na cultura popular, além de Marco Polo.

O poema “Kubla Khan”, de Samuel Coleridge, é muito famoso:

In Xanadu did Kubla Khan
A stately pleasure-dome decree:
Where Alph, the sacred river, ran
Through caverns measureless to man
Down to a sunless sea.

Baseado nisso tudo, tem a música “Xanadu”, do Rush. Eu não conhecia, foi indicação do meu amigo Vinícius Ribeiro.

https://www.youtube.com/watch?v=SEuOoMprDqg

Há uma série da Netflix chamada “Marco Polo”, mas ela é bem ruim – não à toa, foi cancelada na primeira temporada!

Por fim, Xanadu é o nome de uma startup canadense, cuja missão é “To build quantum computers that are useful and available to people everywhere.”. Ela usa fotônica como arquitetura de computação. Confira aqui: http://www.xanadu.ai

Arnaldo Gunzi, Abril 2021

Ideias técnicas com uma pitada de filosofia:

https://ideiasesquecidas.com/

Veja também:
https://ideiasesquecidas.com/2017/10/31/%e2%80%8bbagda-a-mais-bela-cidade-de-todos-os-tempos/

Como a morte de um velho bêbado salvou a Europa da devastação total

A história é fortemente não-linear. Seja em nossas vidas individuais ou em nossas civilizações, há pontos de inflexão imprevisíveis que mudam totalmente o destino de milhões de pessoas…

Tenho um certo fascínio por histórias deste tipo, como a previsão do tempo que salvou o Dia-D, a destruição de Bagdá e o cagão que salvou o mundo, entre outras.

Esta é a história da morte de um único velho bêbado, que salvou a Europa e a civilização ocidental inteira. O mundo seria completamente diferente do que é hoje se este velho tivesse morrido 10 anos depois.

O ano é 1241. O velho bêbado da história é Ogodei Khan, imperador mongol na época, o Khan dos Khans.

YuanEmperorAlbumOgedeiPortrait.jpg

Ogodei era filho de Gêngis Khan, que tinha falecido em 1227.

O império mongol já tinha dominado parte da China e devastado todas as nações entre a Mongólia e a Europa.

Coronation of Ogedei Khan, 1229. (Public Domain)

Em 1241, o flagelo da morte chegou à Europa, comandado por Batu Khan (sobrinho de Ogedei).

Em abril deste ano, duas batalhas notáveis. Na primeira, os mongóis destroçaram um exército de cavaleiros cristãos fortemente armados, no Norte da Polônia.

Outra grande batalha ocorreu na Hungria, também em 1241, onde o exército mongol esmagou os húngaros do Rei Bela IV. Estima-se que 1 milhão de húngaros foram executados: tropas, nobres, cavaleiros, camponeses.

Os mongóis adentravam a Europa…


Qual o poder do exército mongol?

O exército mongol era extremamente moderno, em comparação com os outros exércitos da época.

Image result for mongol horse warrior
Eles utilizavam amplamente o arco e a flecha. Além disso, todo mongol sabia cavalgar, eles praticamente nasciam no lombo de um cavalo. Esta combinação de agilidade e ataque à distância os fazia inimigos formidáveis.

Related image
(Esta é para o meu amigo Antenor Simão. Um Mangudai mongol do jogo Age of Empires 2)

Junte-se à isto a noção de disciplina. Os homens respondiam em uníssono aos comandos dos generais, através de um sistema de bandeiras coloridas.

 

Outro fator era a meritocracia. Nas promoções, valia mais o que o general performava na prática do que a descendência sanguínea.

 

Além de tudo isto, eles incorporavam os exércitos e engenheiros das nações conquistadas, o que acrescentava habilidades importantes ao seu arsenal de técnicas: pólvora, catapultas, máquinas de cerco, etc…

 

O timing era mongol. O resto da Europa era o próximo alvo, após alguns meses de descanso.

 


 

A morte de Ogodei Khan

 

Em dezembro de 1241, Ogodei Khan morreu inesperadamente. Alguns argumentam que o abuso em bebida alcoolica teve relação com esta morte.

 

Sendo Ogodei o Khan dos Khans, a tradição mongol exigia que os aspirantes à sua sucessão se reuníssem para decidir quem seria o próximo Khan. Esta reunião é o Kurultai. Nota: na (horrível) série “Marco Polo” da Netflix, ocorre um desses kurutais.

Image result for kurultai marco polo
Kurultai (ilustrativo) da série Marco Polo

Desta forma, no auge da máquina bélica mongol, Batu Khan interrompeu o avanço a oeste, e deu meia volta, em direção à Mongólia.

 

wpeB.jpg

Pelas distâncias serem enormes, o kurultai demorou vários anos para ocorrer – e aí, os mongóis perderam o timing de invadir a tão distante Europa, nunca mais retornando.

 

 

Os efeitos da passagem mongol pela Europa seriam devastadores. Basta comparar com Bagdá, que foi praticamente deletada do mapa. As crônicas citam que os rios ficaram vermelhos de sangue, e depois pretos de tinta dos livros que foram jogados nos rios. Bagdá retrocedeu 1000 anos, e nunca mais foi a mesma. Hoje, Bagdá é o Iraque.

 

Alguns poucos séculos depois do não confronto com os mongóis, a Europa viveu o renascimento. Galileu apontou o telescópio para os céus. Newton descobriu as leis que governavam o movimento das estrelas e dos corpos. Adam Smith teorizou sobre economia. Os países baixos lançaram os primeiros sistemas financeiros.

 

Alguns séculos depois, a Revolução Industrial, o mercantilismo, as grandes descobertas… Nada disso ocorreria, não fosse o excesso de álcool de um velho mongol…

 


Extra: Sobre a série Marco Polo, da Netflix

Como já ficou claro, eu gosto de história, e aquela série não é sobre história.

 

Achei a série pifiamente romantizada e fantasiosa demais. Marco Polo é um moleque, que acaba virando uma espécie de assessor, estrategista militar, lutador de kung-fu e conselheiro de Kublai Khan!?!?

 

Todo mundo ali luta kung-fu: o chanceler chinês Jia Sidao, a irmã do chanceler, o Marco Polo, o monge, o filho do Khan!?!?

 

O pai de Marco Polo lidera uma cruzada cristã contra os mongóis!?!?

Mas tem algumas informações interessantes. Por exemplo, a história que o pai do Kublai Khan se sacrificou para preservar a vida do irmão Ogodei também é citada em outras fontes.

 


 

Links:

O fantástico livro “E se…?”, que conta algumas histórias que poderiam ter acontecido.

https://www.ancient-origins.net/history-famous-people/ogedei-khan-0010837

https://www.sciencealert.com/scientists-finally-know-what-stopped-mongol-hordes-from-conquering-europe

https://www.reddit.com/r/AskHistorians/comments/8lszit/how_historically_accurate_was_the_notion_that_the/*

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Mongol_invasion_of_Europe