Insights

O grande Mestre Peter F. Drucker definia insight da seguinte forma:

Ah, é tão óbvio. Por que não pensei nisso antes?

Os melhores insights, os mais geniais, são os mais óbvios. Porém, estes só são óbvios depois que alguém teve o insight, não antes.


 

Por que os insights são óbvios?

A realidade tem inúmeras variáveis e condições de contorno diferentes. O mundo é muito maior do que qualquer pessoa consegue entender. Às vezes, não é possível nem mesmo enxergar que há algum problema a ser resolvido, quanto mais tentar resolvê-lo.

Em Teoria da Informação, diria-se que há muito ruído para pouco sinal.

É como estar dirigindo num nevoeiro denso. Temos que continuar dirigindo, e, sem prestar atenção ao redor, não vemos um elefante à beira da estrada.

drivingfog.jpg

 


 

Exemplo

Um exemplo. Fumar tem uma correlação altíssima com o câncer de pulmão.

Entretanto, passou-se muito tempo até descobrirem tal relação. Primeiro, era necessário perceber que o número de casos de câncer de pulmão estava aumentando. Só este fato já demora várias décadas para acontecer, porque as pessoas não desenvolvem câncer do dia para a noite.

Lung.JPG

(http://www.cancer.org/research/cancerfactsstatistics/cancerfactsfigures2013/cancer-statistics-2013-slide-presentation.pdf)

Depois que se nota que os casos vêm aumentando, tenta-se pensar nas causas possíveis disto.

O que aconteceu na segunda metade do século XX, que pode ter influenciado no aumento do câncer?

  • Houve um aumento da população urbana. Muito mais carros nas ruas – será que a fumaça dos carros causa câncer?
  • Também houve aumento expressivo no consumo de remédios em geral – será todos os remédios causam câncer de pulmão?
  • Houve aumento de utensílios domésticos elétricos – será que a batedeira de casa causa câncer de pulmão?
  • Passamos a consumir mais e mais alimentos processados – hambúrguer, batata frita. Seria isto a causa do câncer de pulmão?

E assim sucessivamente. Somente após décadas de estudo, tratamento estatístico de dados e eliminação de inúmeros suspeitos, é possível chegar a algumas poucas alternativas.

Estas poucas alternativas que sobraram podem ser testadas, e os modelos decorrentes daí podem fazer uma previsão. Depois que estas previsões forem aceitas ou refutadas, teremos um quadro bem mais claro do que pode acontecer.


 

É óbvio?

Fazer uma curva da correlação entre cigarro e câncer de pulmão é bem simples, é tão óbvio! Entretanto, para fazer esta afirmação óbvia foram necessárias décadas de estudo de inúmeras outras causas não óbvias. O problema não é fazer a curva de correlação, e sim descobrir quais as variáveis corretas!

É extremamente difícil ter insights. Por exemplo: Qual a ação que vai subir nos próximos 12 meses? Quem vai ganhar as eleições de 2018? O Facebook vai enfrentar a concorrência de quem? Na próxima década, as pessoas que entrarem no mercado de trabalho serão mais ou menos preparadas do que as de hoje?
A China vai quebrar? (e se acontecer, o que posso fazer para não ser afetado?)

Portanto, um insight não é óbvio… é genial.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s