4 segredos para uma newsletter de sucesso

Administro uma newsletter com mais de 300 usuários, além de escrever um blog há mais de 5 anos.

Separando quatro boas dicas para quem quer começar:


1 – Agregar valor e foco no usuário

O conteúdo da newsletter deve ser relevante para quem vai utilizar. Dicas, tutoriais, novas ideias. Conteúdo é rei.

O foco não é mostrar o quanto você é bom. O foco deve ser o leitor. Ele é o herói. Quanto mais você der, mais receberá em retorno.


2 – Consistência
É comum a pessoa começar uma newletter e enviar muitos e-mails no início. Depois de algumas semanas, escassear e finalmente abandonar a ideia.

Muito melhor é ser consistente. Disciplina é tudo. Frequência constante de envios por semana, devagar e sempre como a tartaruga de Esopo.

Não é uma corrida de 100 m, é uma maratona.


3 – Usar a “armadilha da leitura”

Qual o objetivo do título? Atrair o leitor a ver o sub-título.

E o sub-título? Deve levar o leitor a ler a primeira linha do texto.

E assim sucessivamente, até a última linha.

O texto deve ser agradável, curioso e atrativo o suficiente para conduzir o leitor à linha seguinte, até chegar ao final. Esta é a “armadilha da leitura”.


  1. Treinar, treinar e treinar

A teoria é boa, mas o que interessa é a prática.

O único jeito de escrever bons textos é… escrevendo de verdade. No início, os textos podem não ficar muito bons. Depois de tempo e esforço, certamente bons resultados virão.

Por fim, uma dica extra do Neil Gaiman: Sempre deixe um “gostinho de quero mais” no final!

E o que você está esperando? Manda bala.

Veja também:

O valor do tempo investido

Estive a cotar um trabalho, com dois fornecedores.
O primeiro escutou o que eu queria, fez meia dúzia de perguntas, e enviou a proposta de trabalho na semana seguinte por e-mail.
O segundo também fez uma reunião preliminar. Porém, ele se aprofundou no assunto, pré-estudou o problema com a sua equipe e chamou outras duas reuniões para tirar dúvidas (presencialmente), em um nível de discussão muito mais elevado. Somente depois disso, enviou a proposta, muito mais embasada.
Igualando o preço e outras condições, quem é o favorito para ser escolhido?
O preço não é tudo. Muito pelo contrário, o preço é apenas um componente do trabalho, e não é o mais importante.