O canalha gosta de ética

Uma reflexão interessante do prof. Clóvis de Barros Filho.

Até o sujeito mais canalha e anti-ético do mundo quer um que o mundo seja um lugar ético.

Imagine se todos fossem canalhas como o canalha em questão. Este não poderia confiar em nenhuma outra pessoa. Sua vida seria um inferno.

Para o canalha-mor se dar bem, ele precisa que as outras pessoas sejam éticas e só ele canalha.

Se até o canalha torce para que o mundo seja um lugar ético, as pessoas de bem, mais ainda!