Uma frase de Feynman

“Se, num caso de um cataclisma, todo conhecimento científico do mundo fosse destruído, e apenas uma sentença fosse passada para a próxima geração, qual seria a afirmação que traria mais significado em menos palavras? Acredito que é a hipótese atômica, que diz que tudo é feito de átomos”.

Esta é uma das frases iniciais das Aulas de Física de Feynman, referindo-se ao genial físico norte-americano Richard Feynman.

O currículo de Feynman é admirável: participou do Projeto Manhattan (da bomba atômica), ganhou o Prêmio Nobel de Física (por trabalho em eletrodinâmica quântica), ajudou a desvendar a causa da queda da espaçonave Challenger.

Porém, ele não era daqueles gênios que ninguém entendia. Era extremamente didático na forma de expor seus pensamentos. E o Feynman lectures foi um esforço de vários anos, com uma excelente equipe, a fim de trazer o conhecimento do mais alto nível aos universitários e curiosos como eu.

Desta primeira afirmação sobre átomos, ele começa a divagar, explicando o motivo da pressão subir com o aumento da temperatura e decrescer com a diminuição da mesma, a água em estado normal, congelada e o efeito da evaporação, porque a estrutura da água congelada ocupa mais espaço que a água líquida, como é um processo químico, sempre de forma didática.

Tenho uma história curiosa sobre o Feynman Lectures.

Eu ganhei os três volumes da coleção do meu amigo Cláudio Ortolan, há um ano, mais ou menos. Embora haja como obter os pfds na internet, a coleção em papel, encadernada (e infinitamente melhor para ler) é bastante cara, para não dizer rara.

O Cláudio estava comprando a coleção para o filho, e aproveitou e comprou uma a mais para mim.

Mas ele não fez isso por nada. Um mês antes, eu tinha presenteado o filho dele com uma biografia em quadrinhos de Richard Feynman. É um livro bem escrito, mostrando o quão curioso era ele a respeito de tudo: abrir cofres, samba brasileiro, pratos girando e eletrodinâmica quântica.

Ambos (pai e filho) gostaram tanto da história que ficaram vários dias discutindo sobre o tema, daí o Cláudio decidir comprar o compêndio todo.

E, se houver um cataclisma e eu puder dizer um aprendizado sobre Feynman, seria o de que ele era extremamente curioso sobre tudo. Não era curioso tendo um objetivo em mente, era pelo puro prazer de entender como as coisas funcionavam.