Giro um simples compasso com todos os aviões do mundo

O aplicativo Flight Radar é bastante útil, para quem viaja de avião frequentemente.

Este apresenta todos os aviões do mundo em tempo real, na palma do seu celular. Numa folha qualquer eu desenho um avião de partida…

Por exemplo, a figura mostra um avião partindo do Aeroporto de Guarulhos, em SP. Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grená..

A grande utilidade para o usuário é que dá para ver quais aviões estão realmente chegando no seu aeroporto. Isso é uma informação excelente, porque a companhia aérea nem sempre é transparente com a informação dos voos (principalmente se vai atrasar muito).


É lúdico dar um menos zoom e olhar o Brasil todo. Mesmo sendo muito cedo (7 da manhã de sábado, momento do print), há muito movimento aéreo no eixo Rio-SP, Brasília, e outros estados como MG, PR, SC, alguns no nordeste, etc.

Focando na Venezuela, nota-se nenhum voo indo para Caracas, sua capital, o que demonstra o “sucesso” do socialismo do séc. XXI.

Passando de uma América a outra num segundo, a do Norte parece um formigueiro, tão repleta de aviões.

Voando, contornando a imensa curva norte-sul, viajando Havaí, Pequim ou Istambul, passamos pela África e pela Europa. A discrepância econômica entre tais continentes é notória.

Giro um simples compasso e num círculo chegamos ao leste asiático, com intenso movimento no eixo Oriente Médio – Índia – Indonésia – China – Japão, e menos movimento na Ásia Central e arredores.

Um zoom nas Coreias do Sul e do Norte. A do Sul é um dos países mais desenvolvidos do mundo, o que reflete no intenso tráfego aéreo com a China, Japão, Taiwan e arredores.

A do Norte é o espaço vazio entre a Coreia do Sul e a China. Nem um único avião, o que demonstra o “sucesso” do socialismo do séc. XX.

Chegamos ao fim de nossa volta ao mundo num segundo. E o trecho da música que eu mais gosto mesmo é o seguinte:

“Numa folha qualquer
Eu desenho um navio de partida
Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida”

Trecho de Aquarela – Toquinho e Vinícius



Ideias técnicas com uma pitada de filosofia: https://ideiasesquecidas.com

Forgotten Math: https://forgottenmath.home.blog/

Aquarela e Uma rosa em minha mão

 

Por que Vinícius de Moraes aparece nos créditos da famosa música “Aquarela”, sendo que esta já estava morto havia dois anos?
Para mim, esta indagação começou de outra forma.

 

Um dia, ouvindo playlist do poetinha Vinícius de Moraes, me deparei com esta belíssima canção:

 

 

Esta música é chamada “Uma rosa em minha mão”. E nota-se que a melodia é idêntica à “Aquarela”. É a única semelhança, porque a letra é bastante diferente, há outro tipo de arranjo e elementos musicais.
Embora bem mais simples, “Uma rosa em minha mão” é extremamente bonita, fiquei muito tempo tocando-a.

 

 

Já “Aquarela” remete à minha infância. Em 1983, um comercial de TV da Faber Castell usava imaginação, criatividade, lápis de cor e a canção “Aquarela”. Foi a primeira vez que ouvi esta melodia.

 

 

Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo…

Agora, qual o link entre as músicas?

 

Segundo algumas das fontes pesquisadas, o grande músico Toquinho, parceiro de longa data de Vinícius, estava trabalhando na Itália com outro músico, Maurizio Fabrizio

 

“Peguei meu violão e Maurizio foi para uma pianolinha que eu tinha em casa – uma coisinha ridícula (risos). Daí ele começou a tocar uma música. Achei chata a primeira parte. Mas quando entrou na segunda parte, eu lembrei da Uma Rosa em Minha Mão. Toquei pra o Maurizio ouvir, e assim que terminei ele atacou com a segunda parte da música dele. Tudo se encaixou logo de primeira. Gastamos nem três minutos para fazer o que seria conhecido como Acquarello.”

 

Gravei o disco e fizemos o lançamento em Sanremo – conta Toquinho. – Depois da primeira apresentação de “Acquarello”, começaram a pipocar comentários os mais maravilhosos, o disco saiu com 30 mil cópias, que se esgotaram no segundo dia. Essa música tem realmente um aspecto emocional muito forte, um apelo comercial, as pessoas ouvem e se envolvem. De repente, o Franco passou a me telefonar: “Olha, a música estourou por aqui, está nos primeiros lugares das paradas”. Voltei lá para fazer promoção, aí, ninguém segurou mais

 

Como “Aquarela” utilizou a melodia de “Rosa em minha mão”, os créditos a Vinícius deveriam ser dados pela co-criação da música. Creio que Toquinho achou a homenagem bastante justa, após inúmeros anos de parceria, e creio também que Vinícius continua a inspirar muitos de nós até hoje, tanto pela poesia quanto pelas melodias.
Há um ditado que diz “É possível reconhecer um tigre pelas suas garras”.

 

Em “Aquarela”, o trecho final é Vinícius puro, mesmo sendo escrito por Toquinho!

Vamos todos
Numa linda passarela
De uma aquarela que um dia enfim
Descolorirá

Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
Que descolorirá

 

 

Bônus: Aquarela em italiano, Acquarello

 


Links

https://musicaemprosa.wordpress.com/2016/11/20/a-historia-da-musica-aquarela-de-toquinho/

http://barelanchestaboao.blogspot.com/2015/08/numa-folha-qualquer-eu-desenho-um-sol.html

Livro: História de Canções – Vinícius de Moraes.

 

https://i.pinimg.com/originals/2a/a5/25/2aa525123b3b7eef4136df2de280eb70.jpg

Fonte da imagem:  https://www.pinterest.pt/pin/344173596494447128/?lp=true