Empreendedorismo e currículo acadêmico

Participei de um workshop on-line sobre inovação, e a pergunta mais interessante que recebi foi:

“Sou estudante de engenharia e percebo um déficit nas universidades em conteúdos voltados para o empreendedorismo e tecnologias. Gostaria de pedir dicas para ir além dos pré-requisitos.”

Sim, há um déficit enorme no currículo acadêmico. Professores que estão rapidamente ficando obsoletos. Currículo distante da realidade. Mas acredito que o básico é ensinado.

Algumas dicas: 

– Faça o melhor trabalho possível na faculdade, sem dúvida é o arroz-com-feijão

– Abra um perfil no LinkedIn e contate profissionais interessantes, ou siga-os, há muito conteúdo bom. Tenha curiosidade, vá atrás, peça conexões na cara de pau.

– Há muitos cursos on-line excelentes hoje. Coursera, Udacity, EDX, além de workshops e lives. Depende da área que você quer seguir.

– Gosto de uma frase do Naval Ravikant. Empreendedorismo não é uma habilidade ensinável. Não é um plano de negócios que vai tornar alguém empreendedor. É coragem, é prática, é muita tentativa e erro.

Não há um caminho pronto, um roteiro a ser seguido. Se existisse, estaria obsoleto amanhã.

Como diz Nietzsche, você é o único responsável por criar o seu próprio caminho. E o mundo recompensa quem corre atrás, busca, desbrava novos caminhos.

Gostaria que profissionais desta desta rede também comentassem sobre o tema.

Empreendedorismo e currículo acadêmico

Participei de um workshop on-line sobre inovação, e a pergunta mais interessante que recebi foi:

“Sou estudante de engenharia e percebo um déficit nas universidades em conteúdos voltados para o empreendedorismo e tecnologias. Gostaria de pedir dicas para ir além dos pré-requisitos.”

Sim, há um déficit enorme no currículo acadêmico. Professores que estão rapidamente ficando obsoletos. Currículo distante da realidade. Mas acredito que o básico é ensinado.

Algumas dicas: 

– Faça o melhor trabalho possível na faculdade, sem dúvida é o arroz-com-feijão

– Abra um perfil no LinkedIn e contate profissionais interessantes, ou siga-os, há muito conteúdo bom. Tenha curiosidade, vá atrás, peça conexões na cara de pau.

– Há muitos cursos on-line excelentes hoje. Coursera, Udacity, EDX, além de workshops e lives. Depende da área que você quer seguir.

– Gosto de uma frase do Naval Ravikant. Empreendedorismo não é uma habilidade ensinável. Não é um plano de negócios que vai tornar alguém empreendedor. É coragem, é muita tentativa e erro.

Não há um caminho pronto, um roteiro a ser seguido. Se existisse, estaria obsoleto amanhã.

Como diz Nietzsche, você é o único responsável por criar o seu próprio caminho. E o mundo recompensa quem corre atrás, busca, desbrava novos caminhos.

Gostaria que profissionais desta desta rede também comentassem sobre o tema.

Paul McCartney era um aluno medíocre na aula de música


O grande músico Paul McCartney passou pelo Brasil na última semana.

Aos 76 anos, o ex-Beatle continua a entoar com energia algumas das mais belas canções de todos os tempos.

Porém, a julgar pelas suas notas nas aulas de música, esperava-se um músico medíocre.

Paul odiava a escola de música. O seu professor nunca dava notas boas, e nem notava talento especial no jovem Paul.

Outro aluno na mesma escola de música era George Harrison – que também era julgado como um aluno mediano.

Ou seja, o professor quase reprovou metade dos Beatles em sua sala de aula!

Esta história pavorosa é contada por Sir Ken Robinson, num vídeo famoso no TED. A escola, nos moldes tradicionais, atrapalha a criatividade.