Perguntas certas, Ideias no Ar e Competição

Perguntas certas

Fazer perguntas é a parte essencial de qualquer melhoria. Primeiro, perguntas mais gerais, e ir testando respostas. Depois, afunilar para perguntas cada vez mais específicas e precisas.

Em geral, quanto mais técnica é a pessoa, mais ela vai precisar de uma pergunta bastante específica: “teste quanto a propriedade x do produto varia se a entrada estiver num range entre a e b”.

São raras as pessoas que conseguem fazer as perguntas corretas e guiar o time técnico para dar as respostas necessárias.

Como dizia Pablo Picasso: “Computadores são inúteis. Só dão respostas”.

Ideas are in the air

Uma grande ideia, um resultado expressivo no conhecimento humano, nunca vem sozinho. É preciso toda uma evolução global de pensamento, para permitir esses pequenos saltos na fronteira do que existe: essa é a teoria do Possível Adjacente.

As ideias estão no ar, e se não fosse um cientista a fazer a descoberta, outro a faria, cedo ou tarde. Basta ver que há uma enorme quantidade de inovações que tiveram pelo menos duas pessoas perseguindo, em paralelo:

  • Darwin x Wallace: Darwin entrou para a história com a Teoria da Evolução, mas Alfred Wallace quase vence a corrida. Ele tinha desenvolvido uma teoria similar. Wallace foi cavalheiro, ao saber da teoria de Darwin: o procurou e ambos publicaram seus trabalhos concorrentes praticamente juntos. Darwin entrou para a história, e ninguém conhece Wallace, hoje em dia.
  • Einstein x Hilbert: a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein, teve a concorrência de David Hilbert, um dos matemáticos mais brilhantes do século passado. Fosse um problema puramente matemático (e não físico), Hilbert venceria com certeza, pois era um matemático de ponta.
  • Watson x Pauling: na corrida para desvendar a estrutura do DNA, quem venceu foi James Watson (e com controvérsias, como ter tido acesso não autorizado às fotografias de Rosalin Franklin). Havia outro gigante atrás do prêmio: Linus Pauling, vencedor de dois prêmios Nobel. Talvez não fosse esse “atalho” citado, não teríamos os livros de ciência citando Watson & Crick, atualmente.
  • Santos Dumont x Irmãos Wright: essa é uma polêmica conhecida. Os americanos e parte do mundo dizem que os Wright inventaram o avião. Brasil e França, que foi Santos Dumont. Na verdade, centenas de engenheiros anônimos do mundo todo ajudaram a aperfeiçoar o avião, peça a peça, de modo que a “inovação estava no ar”, o avião era a bola da vez.

Idem para eletricidade (Edison x WestingHouse), automóveis (Ford x GM), e assim sucessivamente.

Trilha sonora: John Paul Young – Love Is In The Air
https://www.youtube.com/watch?v=NNC0kIzM1Fo

Competição entre cadeias

Will Durant disse, em seu livro “Lições da História”, que a natureza é competição. Existe cooperação entre grupos, só que a finalidade é que o grupo se sobresaia sobre outros.

Concorrência entre os indivíduos. Então foi ampliado, entre famílias. Depois foi ampliado, entre as comunidades. E assim por diante: concorrência entre empresas, entre cadeias de suprimento.

Nessa linha, é interessante notar que diversos grupos humanos têm “moeda” diferente, mas continua havendo a competição.
Nos negócios, a moeda é dinheiro. No meio acadêmico, reconhecimento e fama. No meio político, poder. Numa guerra, força bruta. Para indivíduos numa empresa, cargos e orçamento.

Um professor e aluno não concorrem, pela diferença de idade. É mais provável que se aliem, como um grupo maior, e que a concorrência seja individualmente entre professores da mesma área, alunos, e como grupo.

Veja também:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s