Aforismos de Sêneca sobre a vida

Lucius Amadeus Sêneca, também conhecido como Sêneca, o jovem, foi um filósofo romano que viveu entre 4 a.C. e 65 d.C. Ele é um representante da escola estoica de pensamento.

 

Seneca.jpg

 

Os aforismos a seguir darão uma ideia do que é o estoicismo.

 

A vida não é curta. A vida é longa o suficiente, desde que a pessoa saiba usá-la.

As pessoas são frugais em guardar os seus bens pessoais, porém quando se trata do seu tempo, o seu bem mais precioso, elas a desperdiçam copiosamente.
As pessoas perdem o dia na expectativa da noite, e a noite com o medo do amanhecer.

(Comentário rápido. Nos meus tempos de engenheiro da Aeronáutica, tinha uma pessoa que entrava no escritório as 8 da manhã, nada fazia o dia inteiro, até ir para casa as 17h. Todo mundo dizia que o mesmo iria se aposentar dali a 3 anos, e estava só esperando o tempo passar. Ora, acho que há coisa melhor a fazer com a vida do que cumprir expediente sem produzir nada de útil)

 
Tudo na vida é emprestado. 

Lembre-se que tudo que temos nesta vida está emprestado para nós pelo Destino. Este pode reaver tudo sem nos avisar. Portanto, devemos amar nossos entes queridos, mas sempre lembrando que não há promessa que podemos cumprir para sempre.

 

A vida feliz é a que concorda com a sua natureza. Ora, isso não poderá ocorrer se a mente não for sã e não estiver em posse da própria saúde e, em seguida, corajosa e enérgica, nobre, paciente e acomodada às várias situações. Ela deverá também cuidar sem ansiedade do corpo e das coisas que adornam a vida, sem se deiar deslumbrar por nenhuma, e estar pronta a utilizar os dons da fortuna, sem ser escrava deles.

 

 

Aquele que é corajoso é livre.
A verdadeira felicidade está fundada na virtude. E o que o aconselha a virtude? A nada julgar bom ou mau, a não ser o que te suceder por causa da virtude ou do vícios. Permanecer inabalável diante do mal e de um bem. Nada te constrangerá, será livre, seguro e isento dos males e perigos.

 

 

Por que fala com mais coragem do que vive?

 

A riqueza é o escravo do sábio e o mestre do tolo.

 

Não é que o homem tem pouco, mas o homem que quer sempre mais, que é pobre.

 

O mais poderoso de todos é aquele que tem poder sobre si mesmo.

 

Não pelas coisas serem difíceis que não temos coragem. É por não termos coragem que as coisas são difíceis.

 


 

Último comentário rápido. O pensador Nassim Taleb comenta sobre Sêneca. Diz que muita gente critica o filósofo romano por este falar de estoicismo, mas ter sido muito rico.

 

Como entender tal contradição?

 

Taleb sustenta que ele é antifrágil. Ele é rico porque o Destino lhe deu capacidade para juntar tais riquezas.  Mas, se este mesmo Destino tirar todas essas riquezas, Sêneca não vai ficar chorando na sarjeta. Ele vai simplesmente continuar andando em frente. Afinal, tudo na vida é emprestado, faz-se uso enquanto tiver, e devolve sem lamentos quando pedirem de volta.

 

 

 


 

Fontes

Livro “Da vida feliz”

https://archive.org/stream/SenecaOnTheShortnessOfLife/Seneca+on+the+Shortness+of+Life_djvu.txt

 

https://www.goodreads.com/quotes/7689848-remember-that-all-we-have-is-on-loan-from-fortune

 

 

 

https://www.goodreads.com/work/quotes/1374471-de-brevitate-vitae

​ Algumas palavras sobre Filosofia

 A filosofia é a fronteira final do pensamento humano.

A filosofia é inútil e especulativa – porque as ideias úteis viram ciência ou algum outro campo do conhecimento.

Mas todos os campos do conhecimento já foram filosofia um dia. Porque tudo existe no mundo das ideias antes de se transformar em algo palpável.
Se a física começa das leis da natureza, a metafísica pergunta a razão dessas leis:

Quais são as fundações das fundações das fundações?

Há uma linha linha tênue entre filosofia e religião. Entre o belo e o feio. Entre o certo e o errado. Entre o infinito e o nada.

A única certeza que tenho é que não há verdade absoluta. Para cada argumento formulado por alguém genial, há sempre um contra-argumento, igualmente fundamentado, por outras tantas pessoas de mesmo porte intelectual. Portanto, não importa o que alguém um dia disse, o que importa é a sua própria convicção.

Sobre a “vida boa”.

Não fomos feitos para ser felizes. Não importa o que fazemos, nem no que acreditamos. Não importa o quanto acumulamos, não há limite. Estaremos sempre incompletos, infelizes, e sempre haverá um desejo da vida ser melhor, uma busca insaciável, é como correr atrás da própria sombra, ou andar numa esteira rolante que acelera quanto mais a pessoa corre.

A única forma de ter uma vida boa é ser feliz hoje, agora, imperfeitos, incompletos, da forma que somos, com o que temos. Respirar fundo, agradecer ao mundo e viver o presente.

E, por fim, vale a pena citar Shakespeare: Há muito mais no Céu e na Terra do que sonha a nossa vã filosofia…