Hindsight effect

É impressionante como surgem profetas, teorias da conspiração e análises táticas extremamente detalhadas depois do acontecimento. Na verdade, é da natureza do ser humano assimilar e incorporar um acontecimento “fora da curva” imediatamente depois que este ocorre, e achar que este era previsível. O nome disto é “efeito retrospectiva”, ou “hindsight effect”.

O “efeito retrospectiva” é um termo popularizado por Nassim Taleb, um dos pensadores mais polêmicos e heterodoxos da atualidade. Mas já era um efeito bem conhecido e documentado por pesquisadores como Daniel Kahneman.

Por exemplo, o 7 x 1 aplicado pela Alemanha no Brasil, em julho de 2014. Antes do jogo, ninguém em sã consciência apostaria em algo assim. Brasil era candidato ao título, pela tradição, por jogar em casa, etc.

Atençào: não estou defendendo o técnico, porque acho que a atuação foi bisonha desde o início do campeonato. Só quero enfatizar o efeito hindsight.

Depois do jogo, surgiram três grupos de pessoas: profetas, analistas e conspiracionistas.

Os profetas diziam que já sabiam que isto iria ocorrer, que a Alemanha era muito superior, que era evidente a fragilidade da defesa, que o meio campo do Brasil é ruim. Isto até é verdade, mas o que incomoda é a palavra “saber”. Com tantas inúmeras variáveis dentro e fora do campo, como é que alguém pode saber que exatamente as variáveis mencionadas seriam as determinantes?

Os analistas fazem toda a análise tática do jogo, dizendo que o Brasil perdeu o meio de campo, que foi um erro a escalação de X, etc. Mas eles sempre fazem a análise depois do jogo, e nunca antes. Olhar para o passado é fácil, e olhar para o futuro, quase impossível. E se a tática maluca do técnico em abrir completamente o jogo desse certo? Ele seria um gênio e os analistas também diriam que era o certo a fazer?

E as teorias da conspiração sempre surgem depois do evento, nunca antes. Aliás, a teoria que existia antes era de que a Copa estava comprada para o Brasil. Evidentemente, nenhuma teoria da conspiração prévia ao evento sobrevive, porque normalmente está furada.

Com o 11 de setembro de 2001 e a crise econômica de 2008, aconteceu a mesma coisa. Depois que a bolha explodiu, apareceram inúmeros profetas que diziam que era inevitável, que já tinham previsto, etc… Na verdade, muitos desses profetas vivem dizendo o tempo todo que alguma crise mundial ou catástrofe vai acontecer, mas erram em 90% do tempo. São levados a sério nas raras ocasiões em que acertam, sendo esquecidos logo depois.

O pior de tudo é que todos nós sofremos o efeito retrospectiva. É do ser humano, não dá para dizer que é coisa de desequilibrado mental.
Uma forma de evitar o efeito é escrever o que você acha que vai acontecer antes do evento, e comparar como que realmente ocorreu. Você vai se surpreender ao chegar a conclusão de que sua taxa de acerto será de 50%, próximo ao aleatório, e de que ninguém tem a capacidade de prever o futuro.

Por exemplo, antes da copa, eu achava que:
A Espanha iria muito bem, talvez até a semifinal
Brasil e Argentina fariam a final, e a Argentina seria a campeã por ter Messi
Colômbia e Chile seriam mero figurantes
Costa Rica não passaria da primeira fase
Alemanha faria uma boa campanha, mas não chegaria a final

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s