Para que servem os autovetores?

Para te deixar multi-milionário? É verdade, pelo menos para os criadores do Google. O algoritmo PageRank basicamente encontra autovalores e autovetores.

No curso de Álgebra Linear, os professores ensinam autovetores conforme a equação da figura.

A grande interpretação da equação é que são a solução de problemas que referenciam a si mesmos.

A ideia básica do Google é simples. Ao invés de rankear os inúmeros sites da internet manualmente (como eram outros engines da época), ela recorre ao número de citações.

Se tiver muitos sites importantes com link para o meu site, o meu site também se torna importante.

Então é só contar os links, correto?

Não. Porque um site porcaria pode estar gerando um monte de links para enganar o sistema.

Como eu sei que o site é importante, sendo que ele é importante porque outros sites dizem que ele é importante?

Quem avalia os avaliadores?

É um problema autorrefenciável… exatamente o problema dos autovalores e autovetores.

O PageRank mostrou-se inúmeras vezes superior aos demais buscadores da época, e foi o primeiro passo para a empresa de Sergei Brin e Larry Page (o Page do PageRank, além de significar página) se tornar o que é hoje.

E eu, demorei 20 anos para entender a importância dos autovetores… tarde demais para criar um Google.

Veja também:

https://ideiasesquecidas.com/2015/08/15/logaritmos-neperianos/

https://ideiasesquecidas.com/2016/05/15/negativo-x-negativo-positivo-por-que/

Googleplex

O Googleplex é a sede do Google. É um complexo de edifícios, parecendo um câmpus universitário, com 290 mil m2 de área. Bastante arborizado, com vários prédios e ruas.

Tem uma lojinha com vários andróides estilizados da empresa e badulaques para turistas comprarem.

O termo “gugol” surgiu no livro “Matemática e Imaginação”, de Edward Kasner. Os fundadores do Google erravam a grafia original do nome. Trechos do livro abaixo.

O “gugol” foi inventado por uma criança (o sobrinho do Dr. Kasner, com nove anos de idade) quando lhe pediram para pensar em um nome para um número muito grande, especificamente, 1 com 100 zeros depois dele. Ao mesmo tempo em que ele sugeriu “gugol”, deu o nome a um número ainda maior: “gugolplex”. Um gugolplex é muito maior que um gugol, mas ainda é finito.

A primeira sugestão era que um gugolplex deveria ser 1 seguido de tantos zeros quantos se pudesse escrever até cansar. Então o gugolplex é 1 seguido de um gugol de zeros. Você pode ter uma ideia do tamanho deste número muito grande, mas finito, pelo fato de não haver espaço suficiente para escrevê-lo se alguém fosse até a estrela mais afastada, passando por todas as nebulosas, colocando zeros em cada centímetro do caminho.

1 gugol = 10^100 =
= 10.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000.000

1 gugolplex = 10^(10^100) = (não cabe aqui e nem em todas as nebulosas do universo)

https://ideiasesquecidas.com/