O Deus Janos

O final de ano sempre tem as festas familiares e as congratulações entre amigos. Hora de fazer a retrospectiva do ano passado e traça as metas do ano seguinte.

 

Dizem que “Janeiro” deriva de Janos, um deus grego que tem dois rostos: um que olha para frente (o futuro) e outro que olha para trás (o passado). Janos é o deus do começo, portões, transições.
 
janus1.gif

 


Metas para o ano novo
Quanto às metas para 2016, uma boa dica é que estas devem ser SMART:
Specific – bem definidas, claras
Measurable – possíveis de mensurar
Attainable – possíveis de serem atingidas
Relevant – esses objetivos são mesmo relevantes? Porque?
Time-related – com um cronograma de entregas parciais ao longo do tempo

 

smartgoals.png

 


Análise de Feedback
 
Quanto à retrospectiva, é  interessante traçar o que Peter Drucker chamava de “Feedback Analysis”.

 

Consiste em pegar as metas do ano passado e apurar o que foi atingido ou não, e analisar os motivos. Depois, arquivar essas metas de modo organizado.
 
Pode-se descobrir muita coisa sobre si mesmo, sobre suas forças e fraquezas. Pode-se conhecer desejos que sempre estão na lista mas nunca são alcançados, ou coisas que eram apenas fogo de palha. E em contraste, pontos muito fortes.

 


 
Conclusão 

 

Metas SMART e Feedback Analysis são ferramentas poderosas para planejar o ano que vem e terminar o ano atual. Sempre faça uso destes.

 

 ano-novo-feliz-49228197.jpg

 
Arnaldo Gunzi
Dez 2015
Mapa do site

Resoluções de Ano Novo

O Ano Novo é sempre um marco. Indica o fim de um ciclo. É a base da contagem de nossa idade. Muita gente elabora desejos para o ano que chega.
Dois tópicos para ajudar na elaboração das resoluções de Ano Novo.
1 – Objetivos devem ser SMART
GoalSetting
Mais do que apenas desejos, o ideal é que as metas do ano tornem-se realidade. E isto envolve planejamento, dedicação, trabalho. Para ajudar a elaborar as metas, há um template de auxílio chamado SMART.
S – Specific: as metas devem ser específicas. Devem ter escopo bem definido, claro. Não adianta colocar algo genérico.
M – Measurable. Devem ser mensuráveis, para conseguir estabelecer metas e
A – Achievable. Os objetivos devem ser atingiveis. Se não os forem, vão ser abandonados rapidamente.
R – Relevant. As metas têm que ser relevantes. Têm que estar em harmonia com o que a pessoa é e os objetivos de longo prazo dela.
T – Timely.  Devem ter um prazo, deadline associado.
Nem sempre é possível ter esses cinco critérios, mas quanto mais tiver, melhor. A grande ideia aqui é que lista de resoluções seja um plano de ação efetivo.
2 – Feedback Analysis
images
A “Análise de Feedback” de Peter Drucker consiste em elaborar metas e checa-las a cada período de tempo, comparando quais eram suas expectativas, o que aconteceu e o que deixou de ocorrer. Desta análise, pode-se descobrir quais os seus pontos fortes e fracos. Também serve para repensar se as suas ações estão de acordo com um objetivo de longo prazo, e o que deve ser mudado.
A dica aqui é a de arquivar essas resoluções de Ano Novo num local e comparar a resolução deste ano com o que realmente ocorreu.
Parece uma dica simples e óbvia.
Mas, como diria o Mestre Drucker: se é óbvia, porque não é feita? Afinal, você se lembra da resolução de Ano Novo do ano passado? Do retrasado? De 10 anos atrás?
Conclusão 
A análise SMART ajudará a criar planos de ação, e não simples desejos.
O Feedback Analysis ajudará a analisar seus pontos fortes, fracos e alinhamento com objetivo de longo prazo.

Arnaldo Gunzi

Jan/2015