O “startupeiro foda” quebrou

O “startupeiro foda” era um sujeito que começava os seus pitches pedindo para que pessoas disruptivas levantassem a mão. Se não conheciam disruptivos, agora iriam conhecer vários. Ele dizia que a sua startup era foda, formada só por caras foda, com conselheiros muito fodas.

O produto também era foda demais. Lindo, mágico. O cliente que não reconhecesse isso era muito burro. Talvez o cliente tivesse que mudar o seu processo e suas prioridades para encaixar essa solução foda e mágica na sua empresa, e não o contrário. E talvez o cliente tivesse que pagar em dobro pelo privilégio de ter tal produto fodástico em suas mãos.

E os concorrentes? Tudo fraquinho. Ninguém mais nesse mundo todo tem a mesma competência, mesmo acesso a recursos e pessoas de alto nível do que o nosso querido “startupeiro foda”.

Prejuízo desde sempre? Isso não importa. Estavam ganhando mercado, e um dia, seriam maiores do que todas as empresas do Brasil juntas.

Pois bem, recentemente, o “startupeiro foda” quebrou. Se f.

Sabedoria das vovós: humildade e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

(Meu primeiro contato com o dito cujo:
https://ideiasesquecidas.com/2019/04/14/o-pitch-do-startupeiro-foda/)

Vídeo em homenagem ao “startupeiro foda”

Homenagem ao Mestre Marcos Gomes de Melo

Recebo com tristeza a notícia do falecimento do grande Marcos Gomes de Melo, aos 75 anos.

Formado no Instituto Tecnológico da Aeronáutica, na turma de 1969, pessoa de enorme conhecimento. Brilhante, genial, sempre com bons pontos.

No meu último encontro, no começo deste ano, ele estava bastante feliz, e pagou o almoço para o grupo que estava junto.

Além disso, ele contribuiu direta ou indiretamente para inúmeros posts deste espaço, seja com ideias, discussões, e também com uma lista de 10 livros para jovens em início de carreira – vide link a seguir.

Obrigado por tudo e descanse em paz, Mestre Marcos Melo.

Post sobre o Melo na página da Aeita:

http://www.aeitaonline.com.br/wiki/index.php?title=Marcos_Gomes_de_Melo

Um pouquinho melhor todos os dias

Visualização da semana.

Um pouquinho melhor todos os dias x um pouquinho pior todos os dias.

Para quem quiser baixar o arquivo ppt com a visualização:

Um pouquinho melhor.pptx

Veja também:

Napoleon Hill em 40 frases

Napoleon Hill é um escritor do início do século passado, porém, suas palavras continuam tão atuais quanto sempre foram.

A seguir, frases de seus livros “The Law of Success” e “Think and Grow Rich”, em (mais ou menos) 40 frases.

Mais ouro foi minerado do cérebro humano do que de todas as minas da Terra.

Tudo que a mente humana pode imaginar e acreditar, pode atingir.

Há sempre abundância de capital para aqueles que podem criar planos práticos de utilizá-lo.

Sempre haverá espaço no mundo para aqueles que produzem mais do que recebem. Produza mais do que recebe, e em breve você será pago mais do que produz.

Toda grande invenção começou na imaginação de uma pessoa.

Seja você quem for, onde estiver, qualquer seja sua ocupação, há espaço para você se tornar mais produtivo e agregar mais valor à sociedade, utilizando sua imaginação.

Você pode fazer se você acreditar que pode!

Qual o seu Propósito Principal Definitivo?

Não tema a oposição. Lembre-se de que a pipa do Sucesso sobe contra o vento da adversidade.

Desenvolva o seu próprio Master Mind (grupo de aliados com o mesmo objetivo, com habilidades complementares e em harmonia, na mesma frequência).

Não existe alguma coisa por nada. No longo prazo, você consegue exatamente o que você paga, seja comprando um automóvel ou um pedaço de pão.

Quando um homem deseja algo tão profundamente a ponto de trocar todo o futuro por um único número na roleta da vida, ele certamente vencerá.

Uma enciclopédia com todo o conhecimento do mundo é tão inútil quanto uma duna de areia, até ser organizada e expressa em termos de ação.

Tenha o hábito de tomar uma ação todos os dias, que vai te levar um passo a mais em direção ao seu Propósito Principal Definitivo.

Tudo que você construir deve ser baseado na Verdade e na Justiça.

A melhor compensação por fazer acontecer é a habilidade para fazer mais.

Qualquer um pode começar, porém somente os persistentes conseguem terminar.

Você é feliz se aprendeu a diferença entre derrota temporária e fracasso. A semente do sucesso está dormente em cada derrota temporária que você experimentar.

Você sempre pode ser a pessoa que você gostaria de ser.

O único homem que não comete erros é aquele que nada faz.

Você é um magneto humano e você está constantemente atraindo pessoas cujas personalidades harmonizem com sua própria.

Pense bem antes de falar, pois suas palavras podem plantar a semente do sucesso ou fracasso na cabeça de outra pessoa.

Desenvolva o hábito de tomar a iniciativa. Fale iniciativa, pense iniciativa, coma iniciativa, durma iniciativa e pratique iniciativa.

Todo dia é uma chance de prestar algum bom serviço.

Aqueles que trabalham apenas por dinheiro, e que recebem apenas dinheiro, serão sempre mal pagos, não importa a quantidade que recebem. Os maiores prêmios da vida não são medidos em dólares e centavos.

Comece hoje a agir e fazer o dia valer a pena. O ontem já foi, e o amanhã pode nunca chegar.

Se você tem um talento, use da melhor forma possível. Não desperdice isso.

Sonhe. Tenha grandes sonhos.

As grandes conquistas são resultado de grande sacrifício, e nunca resultado de egoísmo.

Entuasiasmo é uma força vital que você pode domesticar e utilizar.

Uma pessoa feliz é aquela que sonha com as conquistas ainda não atingidas.

Ninguém consegue expressar em palavras ou ações algo que não está em concordância com suas próprias crenças.

Reputação é o que outras pessoas acreditam ser, caráter é o que as pessoas são.

Ouse se destacar na multidão e seguir o seu caminho.

A sorte não é aleatória – é trabalho.

Quem sabe exatamente o que quer da vida já está a meio caminho de conseguir atingir.

“Sobrevivemos com o que ganhamos. Mas só temos uma vida pelo que doamos” – Winston Churchill

“Faça o que você ama e não terá que trabalhar o resto da vida” – Confúcio

Uma personalidade atraente usa a Imaginação e a Cooperação.

Separe fatos de convicções, e o que é importante do que não é importante.

Um grande líder é aquele que faz outras pessoas fazerem grandes coisas.

Uma pessoa decidida não consegue ser parada!

O Tempo é, no final, a única moeda real que temos.

“Somos feitos da matéria de nossos sonhos” – Príncipe Próspero, a Tempestade de Shakespeare

A Lei do Triunfo
Link da Amazon: https://amzn.to/3KsYuT6

Pense e enriqueça
Link da Amazon: https://amzn.to/3pPGiJI

Veja também:

Qual o futuro da computação quântica no Brasil?

Essa foi uma das perguntas da trilha #QuantumComputing, estreante na The Developer’s Conference 2022, da qual tive a honra de palestrar.

O componente básico da computação tradicional, o transistor, vem diminuindo de tamanho, o que se traduz na Lei de Moore: o poder computacional dobra a cada 18 meses, para um mesmo custo. Porém, há um limite físico, e o limite é o tamanho de um átomo (estamos quase chegando no limite).

Um computador quântico tem um paradigma de computação fundamentalmente diferente. Enquanto um bit assume valores 0 ou 1, um qubit pode assumir qualquer superposição entre 0 e 1, além de podermos controlar as probabilidades com outro superpoder, o emaranhamento.

Aplicações potenciais em simulação de moléculas químicas, otimização combinatória, comunicação e criptografia (tanto para quebrar a criptografia RSA atual quanto para criar protocolos à prova de espiões).

A julgar pelo interesse dos participantes e pelas aplicações possíveis, o futuro será brilhante!

Parabéns aos organizadores e aos contatos significativos, alguns dos peso-pesados do Brasil.

Alguns links:

https://thedevconf.com/tdc/2022/business/

https://cryptoid.com.br/conectividade-tecnologia-criptografia-id/computacao-quantica-sera-debatida-no-tdc-business-em-sao-paulo/

Scott x Amudsen: a conquista do Polo Sul

Recomendação de podcast, com dois gigantes: Malcown Gladwell (Outliers, David e Golias) e Tim Harford (O Economista Clandestino).

O tema: a corrida pela conquista do Polo Sul. De um lado, o britânico Robert Scott, de outro, o norueguês Roald Amudsen, no começo dos anos 1900.

Expedição de Amudsen – Fonte: https://www.scientificamerican.com/article/south-pole-discovered-december-14-1911/

Os exploradores tinham abordagens completamente diferentes.

  • Scott, herói badalado pela mídia, cheia de inovações mirabolantes (como utilizar pôneis)
  • Amudsen, low profile, pouco conhecido, chegou a dizer que ia ao Polo Norte para despistar atenção

Gladwell cita a semelhança de Scott com startup badalada do Vale do Silício, cheia de ideias e com enorme financiamento.
Porém, o dinheiro não vem sozinho. Com isso, opiniões, interferências, pressão. Exemplo é que o navio quase afundou, de tanta carga que levava.

Já Amudsen apenas queria chegar ao Polo Sul da maneira mais simples e eficiente possível – como se fosse um empreendedor desconhecido. Utilizou os tradicionais cães, para transporte de trenós, por exemplo.

Quem seria estúpido o suficiente para utilizar pôneis (morreram todos) no Polo Sul, quando o tradicional é utilizar cães? Talvez os mesmos que hoje proclamem as vantagens do blockchain para problemas que um banco de dados simples resolveria.

Amudsen venceu a corrida, no final das contas. Eu achei a analogia interessante, ainda mais vindo de dois grandes nomes do pensamento da atualidade.

Link: Podcast Cautionary Tales:
https://omny.fm/shows/cautionary-tales-with-tim-harford/how-would-you-dine-with-scott-or-amundsen-malcolm

Veja também:

Exemplo de como não fazer um gráfico

Exemplo de como NÃO fazer um gráfico, do meu blog de Excel VBA.

Ferramentas em Excel-Vba

Edward Tufte é um especialista em visualização de dados e tem excelente dicas. Vamos ilustrar com um exemplo do que não fazer:                                                                                                    

Erros:

– O título e os valores foram representados mais de uma vez, são redundantes

– Título com uma fonte rebuscada, sem necessidade alguma

– Duas casas decimais, sem necessidade

– Um gráfico elegante é o que tem a maior razão informação / tinta utilizada. As linhas horizontais e verticais do gráfico acima não contribuem em nada, assim como os eixos com valores na horizontal e vertical

– As cores estão colocadas aleatoriamente, não transmitem informação alguma

Informação demais, e redundante, atrapalha, é poluição visual.

Observe como o gráfico limpo, somente com o necessário, é muito mais agradável.

Vide outras dicas em:

Ver o post original

Horse sense, procurando um cavalo para montar

Este é um livrinho dos anos 90, dos que mais gosto. Foi escrito por Al Ries e Jack Trout, dois gênios do marketing (também escreveram “As 22 Leis do Marketing” e “Marketing de Guerra”).

A ideia principal é que, além de ter habilidade, devemos também ter oportunidades, um cavalo a montar. Pode ser uma empresa, um sócio, um patrocínio, um cargo governamental. Ninguém consegue triunfar sozinho. Sempre precisamos de aliados.

Donald Trump teve diversos sucessos (e fracassos) em seus empreendimentos. O que ele pouco conta é que veio de família rica, e já no primeiro empreendimento, pegou um cheque de 50 milhões de dólares dos pais.

O melhor jóquei não é necessariamente o mais leve, esperto ou forte. Ele também precisa do melhor cavalo. É necessário aliar habilidade com oportunidades.

Quais as chances de sucesso, de diversos cavalos?

Os autores classificam em três grupos.

1) Estes têm menores chances.

Trabalho duro. 1 para 100
Inteligência. 1 para 75
Educação. 1 para 60
Empresa. 1 para 50

Trabalhar duro por trabalhar vai esgotar o seu tempo e sua força, sem necessariamente mudar alguma coisa de forma significativa. É necessário trabalhar de forma inteligente. Ganhar escala.

2) Chances médias

Criatividade. 1 para 25
Hobby. 1 para 20
Geografia (local onde está). 1 para 15
Visibilidade. 1 para 10

Trabalhos mais criativos e que possibilitem alguma visibilidade são melhores, mas tem outros mais interessantes ainda.

3) Maiores chances.
Produto. 1 para 5
Ideia. 1 para 4
Outra pessoa. 1 para 3
Parceria. 2 para 5
Esposa. 1 para 2
Família. 2 para 3

A seguir, Ries e Trout detalham alguns desses cavalos com mais chance de sucesso. Destaquei apenas dois, para exemplificar.

O cavalo empresa:

  • Seja early bird (que pega a onda de crescimento inicial da empresa)
  • Seja político. Ser um clone (ir de acordo com as normas sociais explícitas e implícitas), encontrar patrocinador e estar na lista do “fast track”.
  • Fazer exposição de trabalhos
  • Be a hero (estar junto a produtos bem-sucedidos e com visibilidade)

O cavalo da Ideia:

  • É algo pioneiro?
  • É corajoso?
  • É óbvio? (se for algo óbvio que poucos tenham feito, é bom)
  • É simples?
  • Está no momento certo?

Portanto, estude muito, trabalhe muito, pratique muito. E procure um bom cavalo para montar.

Infelizmente, o livro está esgotado. Para saber mais, somente procurando sobre comentários na internet.

Veja também:

Veja também, um podcast do Roberto Shiniashiki, falando sobre o Horse Sense.

https://podcasts.google.com/feed/aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy9jNGEzZDFjL3BvZGNhc3QvcnNz/episode/MWRjZThiZjAtNmRlMS00YTQ1LTkzY2QtZjc4ZDdiNzI4Nzc4?ep=14

Perguntas certas, Ideias no Ar e Competição

Perguntas certas

Fazer perguntas é a parte essencial de qualquer melhoria. Primeiro, perguntas mais gerais, e ir testando respostas. Depois, afunilar para perguntas cada vez mais específicas e precisas.

Em geral, quanto mais técnica é a pessoa, mais ela vai precisar de uma pergunta bastante específica: “teste quanto a propriedade x do produto varia se a entrada estiver num range entre a e b”.

São raras as pessoas que conseguem fazer as perguntas corretas e guiar o time técnico para dar as respostas necessárias.

Como dizia Pablo Picasso: “Computadores são inúteis. Só dão respostas”.

Ideas are in the air

Uma grande ideia, um resultado expressivo no conhecimento humano, nunca vem sozinho. É preciso toda uma evolução global de pensamento, para permitir esses pequenos saltos na fronteira do que existe: essa é a teoria do Possível Adjacente.

As ideias estão no ar, e se não fosse um cientista a fazer a descoberta, outro a faria, cedo ou tarde. Basta ver que há uma enorme quantidade de inovações que tiveram pelo menos duas pessoas perseguindo, em paralelo:

  • Darwin x Wallace: Darwin entrou para a história com a Teoria da Evolução, mas Alfred Wallace quase vence a corrida. Ele tinha desenvolvido uma teoria similar. Wallace foi cavalheiro, ao saber da teoria de Darwin: o procurou e ambos publicaram seus trabalhos concorrentes praticamente juntos. Darwin entrou para a história, e ninguém conhece Wallace, hoje em dia.
  • Einstein x Hilbert: a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein, teve a concorrência de David Hilbert, um dos matemáticos mais brilhantes do século passado. Fosse um problema puramente matemático (e não físico), Hilbert venceria com certeza, pois era um matemático de ponta.
  • Watson x Pauling: na corrida para desvendar a estrutura do DNA, quem venceu foi James Watson (e com controvérsias, como ter tido acesso não autorizado às fotografias de Rosalin Franklin). Havia outro gigante atrás do prêmio: Linus Pauling, vencedor de dois prêmios Nobel. Talvez não fosse esse “atalho” citado, não teríamos os livros de ciência citando Watson & Crick, atualmente.
  • Santos Dumont x Irmãos Wright: essa é uma polêmica conhecida. Os americanos e parte do mundo dizem que os Wright inventaram o avião. Brasil e França, que foi Santos Dumont. Na verdade, centenas de engenheiros anônimos do mundo todo ajudaram a aperfeiçoar o avião, peça a peça, de modo que a “inovação estava no ar”, o avião era a bola da vez.

Idem para eletricidade (Edison x WestingHouse), automóveis (Ford x GM), e assim sucessivamente.

Trilha sonora: John Paul Young – Love Is In The Air
https://www.youtube.com/watch?v=NNC0kIzM1Fo

Competição entre cadeias

Will Durant disse, em seu livro “Lições da História”, que a natureza é competição. Existe cooperação entre grupos, só que a finalidade é que o grupo se sobresaia sobre outros.

Concorrência entre os indivíduos. Então foi ampliado, entre famílias. Depois foi ampliado, entre as comunidades. E assim por diante: concorrência entre empresas, entre cadeias de suprimento.

Nessa linha, é interessante notar que diversos grupos humanos têm “moeda” diferente, mas continua havendo a competição.
Nos negócios, a moeda é dinheiro. No meio acadêmico, reconhecimento e fama. No meio político, poder. Numa guerra, força bruta. Para indivíduos numa empresa, cargos e orçamento.

Um professor e aluno não concorrem, pela diferença de idade. É mais provável que se aliem, como um grupo maior, e que a concorrência seja individualmente entre professores da mesma área, alunos, e como grupo.

Veja também:

Algumas boas ofertas do Amazon Book Friday

O Amazon Book Friday 2022 vai do dia 18/08 ao dia 22/08, com ofertas em livros diversos.

Seguem algumas recomendações.

Box George Orwell, com três livros (A Revolução dos Bichos, 1984 e Dentro da baleia).

https://amzn.to/3QTGmDF

Rápido e Devagar, de Daniel Kahneman

https://amzn.to/3c3UD1M

Armas, germes e aço, de Jared Diamond

https://amzn.to/3QDfxUu

Roube como um artista, de Austin Kleon

https://amzn.to/3dHLL2s

Por fim, Storytelling com dados, de Cole Knaflic


https://amzn.to/3dFRWUC

Todos os livros acima são excelentes, e já comentei de boa parte deles neste espaço.

Boa leitura!

Veja também:

Better Call Saul

De todas as séries e filmes que assisti nos últimos 10 anos, Better Call Saul, que chegou ao último capítulo ontem, é a minha favorita.

É uma série artisticamente bonita e repleta de tramas extremamente bem amarradas. Detalhes que podem parecem insignificantes, como uma tampa de uma garrafa de tequila caindo de um caminhão, na verdade carregam toda uma simbologia de ascensão e queda, por exemplo. Não é como as séries normais, que facilmente contém inconsistências internas ou erros grosseiros de continuidade.

Eu considero Better Call Saul melhor do que a predecessora, Breaking Bad.

Isso sem contar atuações impecáveis de Bob Odenkirk (Saul Goodman), Rhea Seehorn (Kim Wexler) e conhecidos da era Breaking Bad, como Giancarlo Esposito (Gustavo Fring) e Mike Ehrmantraut (Jonathan Banks).

Uma crítica comum é que a série é lenta demais. Podiam passar capítulos em que praticamente nada acontecia. Isso é verdade, é necessária uma certa paciência para extrair o melhor da jornada de Jimmy McGill a Saul Goodman. Para mim, pelo contrário, essa era uma das vantagens de Better Call Saul. Cada capítulo era como um jogo de xadrez, movendo peças uma a uma, de forma consistente, até chegar finalmente ao clímax, capítulos depois. Além do que uma série boa de verdade não precisa de duas reviravoltas forçadas a cada capítulo.

De qualquer forma, agradeço aos criadores e atores por essa história incrível, da qual desfrutei de cada minuto, e recomendo fortemente para quem quiser assistir uma boa série.

Winston Churchill, discursos para texto e texto para discursos no Office

O grande estadista britânico Winston Churchill foi fundamental na Segunda Grande Guerra. No início de 1940, a Alemanha tinha dominado boa parte da Europa continental (Polônia, Bélgica, França, e Itália era aliada), a Rússia era neutra e os EUA não tinham entrado na guerra.

A Inglaterra era a única grande frente de oposição à Hitler.  A liderança de Churchill, com seus discursos inflamados, levou o país a resistir com “sangue, trabalho, lágrimas e suor”, e “vitória a qualquer custo”.

Há diversos filmes sobre Churchill, como o “Destino de uma nação”. O que achei engraçado é que Churchill passava o tempo todo, seja de pijamas ou a altas horas da noite, ditando e pedindo para as secretárias lerem o discurso, até chegar num resultado satisfatório. Na época, datilógrafas furiosamente usando máquinas de escrever.

Passados oitenta anos, hoje em dia não é necessário ter um batalhão de secretárias para escrever e ler discursos. Qualquer ferramenta do Office pode ajudar.

No Word, para ditar o seu discurso, ir em Página Inicial – Ditar.

Vai aparecer uma caixinha de controle, e talvez autorização para usar o microfone. E aí, é só ditar que o Word vai redigir o texto.

Para fazer o oposto, ler algum texto, basta selecionar o trecho, clicar com o botão direito, e escolher “Ler em voz alta”. É possível controlar a velocidade, escolher a voz. Eu sempre uso, para revisão final de texto.

(Outra dica. Para selecionar tudo, CTRL-T)

O mesmo truque funciona no Excel, Outlook, Power Point.

Versões anteriores à 2019 não têm esse recurso. Uma solução é usar a versão on line do Office (www.office.com), que vai estar atrelada à sua conta do Office 365.

Com a ajuda de suas secretárias, além de ter liderado a Inglaterra a resistir até a entrada dos EUA e Rússia na guerra, Churchill escreveu livros sobre a Primeira e Segunda Guerras Mundiais, além de outros livros de história, e por isso, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1953. 

“Nunca, nunca, nunca desista” – Winston Churchill

Para saber mais:

Winston Churchill, o homem que mudou o mundo (ideiasesquecidas.com)

Trilha sonora: Sacrifice – Elton John

(55) Elton John – Sacrifice – YouTube