Como surgiu o Prêmio Nobel

No ano de 1888, o empresário Alfred Nobel leu o seu próprio obituário, nos jornais.

A confusão: fora o seu irmão, Ludvig, quem morrera, não ele. Os jornais cometeram esse erro, mas pior ainda foi o conteúdo da matéria, o rotulando como o “Mercador da Morte”.

Por que “mercador da morte”? Porque Alfred Nobel inventou a dinamite. Antes de Nobel, era extremamente perigoso lidar com nitroglicerina, e a sua invenção permitiu a manipulação segura do explosivo. Além disso, Nobel foi detentor de mais de 355 patentes de invenções diversas. A dinamite foi logo adotada mundo afora, enriquecendo o inventor.

Pois bem, após o obituário o condenar pela invenção de explosivos, Nobel resolveu mudar sua imagem. Trecho do biógrafo Kenne Fant, descrito no link do rodapé:

“Nobel ficou tão obcecado com a sua reputação após a morte, que ele reescreveu o testamento, deixando a maioria de sua fortuna para uma causa que nenhum obituário futuro poderia caluniar”.

Alfred deixou 94% de sua fortuna a 5 prêmios: Física, Química, Medicina, Literatura e Paz. Anos depois, o Banco Central da Suécia doou grande quantia para estabelecer o prêmio de Economia, em homenagem a Alfred Nobel.

É irônico que o Prêmio Nobel da Paz tenha sido criado pelo inventor da dinamite.

E você, o que você quer escrito no seu obituário?

Links:

https://www.history.com/news/did-a-premature-obituary-inspire-the-nobel-prize

https://en.wikipedia.org/wiki/Alfred_Nobel

Como resolver o cubo spinner

O “cubo spinner” é a mais nova aquisição para minha coleção de cubos mágicos (vide https://ideiasesquecidas.com/cubos-magicos/).

É um hand spinner, daqueles que ficam girando e foram moda anos atrás, e um cubo 3 x 3 com uma camada só.

Não sei quem teve essa ideia, mas eu gostei.

A resolução do cubo spinner é muito simples.

Tem apenas 4 movimentos possíveis: R (right), L (left), U (upper) e D (down).

Vou ilustrar apenas o R, porque os outros são semelhantes.

É importante notar que as peças do lado apenas ficam viradas para cima ou para baixo, não trocam de posição com outras peças.
Neste tipo de puzzle, é sempre bom identificar quais as peças mais invariantes possíveis, e começar por elas.

Já as peças de canto trocam de posição entre si, a cada movimento.

O movimento (RU)^2 (direita e depois a posição superior, repetido duas vezes), tem o efeito de: não alterar as peças de lado, e trocas as peças de canto segundo a configuração abaixo.

Portanto, a partir de um arranjo qualquer do cubo:
– Vire as peças de lado para a posição correta (todas de branco ou amarelo)

– Use movimentos (RU)^2 (ou similar, LU, RD), para acertar um dos cantos

– Coloque a peça acertada no canto inferior esquerdo, que não é afetado pelo movimento RU

– Aplique o movimento (RU)^2 até resolver o cubo.

O cubo spinner é divertido, porque junta dois brinquedos lúdicos e simples de resolver.

Link da Amazon:
https://amzn.to/3JMIjyy

Vide também:

O Canguru da Matemática

No último sábado, a minha filha mais velha fez a prova Canguru de Matemática. Eu não conhecia e achei a iniciativa excelente.

É basicamente uma provinha, tipo uma Olímpiadas de Matemática para jovens do ensino fundamental e médio, feita anualmente.

O site do programa, abaixo, é muito bom, e contém inclusive as provas passadas, para os diversos níveis em que ela é aplicada. Faço questão de divulgar:

https://www.cangurudematematicabrasil.com.br/index.html

Segundo o site, o Canguru de Matemática é o maior concurso internacional do tipo, e no Brasil, começou em 2009.

Segue um exemplo de questão, de uma das provinhas do ano passado, só para ilustrar.

Parabéns aos organizadores pela iniciativa! Que surjam inúmeros cangurus matemáticos no Brasil e no mundo!

Veja também:

O quebra-cabeças incompleto do ser humano

O ser humano é como um quebra-cabeças incompleto, que busca no mundo peças para encaixar nos lugares vazios.

O problema é que é um quebra-cabeças infinito: quanto mais peças completamos, mais bordas incompletas surgem, pedindo mais peças.

O negócio é ir em frente, assim mesmo, incompletos e imperfeitos como somos.

Veja também:
https://ideiasesquecidas.com/

A sedutora Deusa da Fortuna

Muito interessante a discussão de Virtù e Fortuna, a partir da obra de Nicolau Maquiavel (1469-1527).

“Fortuna”, no sentido de sorte, destino. A ideia vem da deusa romana da sorte, a Deusa da Fortuna.

E “Virtù”, está mais para habilidade, ações a fazer, não como a virtude que conhecemos. Envolve habilidade e trabalho no sentido bom do termo, mas, também tem um outro lado. A moral de Maquiavel é comumente resumida pela frase “Os fins justificam os meios”, e a “Virtù” pode até envolver atos desagradáveis como usar a força para conter uma ameaça ao Príncipe (lembre-se de que Maquiavel escrevia olhando o ponto de vista do poder). Para o resto do texto, vamos nos ater ao lado bom da Virtù.

A seguir, Maquiavel acrescenta que dependemos de 50% da Fortuna e 50% da Virtù. A Virtù é aquilo que podemos fazer a partir de nossa própria capacidade, e Fortuna engloba tudo o que está além de nosso controle.

Seria como numa partida de poker, a Fortuna seriam as cartas que recebemos neste jogo da vida, e a Virtù a capacidade de usar as cartas que temos na mão da melhor forma possível.

Às vezes, alguém pode fazer tudo errado, mas com o sorriso da Deusa da Fortuna, ainda assim alcançar resultado interessante. E, vice-versa, alguém pode fazer exatamente tudo certo, mas ficar sem receber o beijo da Deusa da Fortuna. É como num jogo de probabilidades.

Essa discussão também lembra, de certa forma, a noção de “Burro esforçado” e de “Gênio preguiçoso”. Devido à minha formação, acabei encontrando ambos os casos ao longo da minha vida. E, posso dizer, que já vi muitos burros esforçados superando gênios preguiçosos, a longo prazo. O melhor dos mundos é ter boas cartas vindas da Fortuna, e além disso, ser alguém extremamente estudioso e batalhador.

De qualquer forma, não temos acesso à poderosa Deusa da Fortuna. As cartas já estão dadas e não cabe lamentar o que está fora do nosso controle. A parte que nos cabe é apenas a Virtù. O que vejo é que, com trabalho duro, a longo prazo, e com juros compostos a favor, aumentam as probabilidades de seduzir a bela Deusa da Fortuna.

Alguns links:

Trilha sonora:
Soldiers of Fortune – Deep Purple

O livro “Thinking in Bets”, de Annie Duke, tem temática semelhante.
https://amzn.to/3wG3YVC

Como aprender por osmose

O termo “aprender por osmose” é visto como uma piadinha, como quando o aluno dorme em cima do livro e quer absorver o conteúdo pelo contato. Obviamente, esse tipo de abordagem não funciona, mas há uma forma de osmose que, além de funcionar, é uma das formas mais poderosas de aprendizado existentes.

O termo vem da biologia: “Osmose é o processo em que a água move-se, sem gasto de energia pela célula, do meio menos concentrado para o mais concentrado através de uma membrana seletivamente permeável.”

A osmose exige:

  • Um meio mais concentrado e um menos concentrado
  • Interface entre ambos
  • Tempo

De forma análoga, para aprender qualquer habilidade ou tarefa, não há nada melhor do que:

  • Encontrar um mestre, um mentor que domine extremamente bem o assunto desejado
  • Ter uma boa interface com ele
  • Tempo para ganhar experiência

É a velha frase “Diga-me com quem andas, e direi quem és”.

Isso é tão precioso, que é até difícil de executar na prática. Os mestres que realmente dominam o ofício são raros, e talvez de difícil acesso. Mesmo tendo acesso, o tempo e interface com eles pode ser muito limitado. Portanto, oportunidades de contato devem ser extremamente bem aproveitadas.

Links:

https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/osmose.htm

Prova visual soma 1/4 + (1/4)^2 + …

Segue uma bela prova visual da série 1/4 + (1/4)^2 + (1/4)^3 + …

Vamos dividir um triângulo em 4:

O triângulo interior (em branco) tem 1/4 da área do triângulo.

Aplicando a mesma técnica no primeiro triângulo, agora o interior em branco soma mais 1/4 de 1/4.

E assim sucessivamente.

Portanto, a soma da série infinita equivale a 1/3 da área original do triângulo.

Para quem quiser downloadar a rotina, foi feita em Excel VBA: https://1drv.ms/x/s!Aumr1P3FaK7joBrTIUJJGgUugkFa

A inspiração desta prova foi a bela capa do livro “Proof without words II”, de Roger Nelsen:

Veja também:

Ray Dalio, por que nações são bem sucedidas e fracassam

É sempre interessante ouvir sobre o que Ray Dalio, bilionário fundador da Bridgewater, tem a dizer. Ainda mais, quando é de graça, como neste podcast, intitulado “Why nations succeed and fail”.

Ele cita vários temas de seu último livro, “Principles for Dealing with the Changing World Order”, como ciclos econômicos, ascensão da China, possibilidade de guerra.

A seguir, highlights em alguns parágrafos.

Pergunta: Por que estudar projeções num futuro tão distante? Normalmente gestores financeiros se preocupam por trimestres ou poucos anos.

Dalio: As principais ocorrências de minha vida foram de coisas que não aconteceram dentro de espaço de tempo de uma vida humana. Porém, são fatos que se repetem de tempos em tempos na história da humanidade: grande depressão, por exemplo. A situação que vivemos atualmente nunca ocorreram antes, no espaço de uma vida: quantidade de criação de débito e consequente impressão de dinheiro; magnitude de conflito interno, decorrente de desigualdades econômicas e problemas políticos; e a ascensão de uma nova potência, a China.
Como gestor, devo ser realista e acurado, mesmo para as coisas ruins.

  • Há vários paralelos dos dias de hoje com a época pré Segunda Guerra Mundial: enorme débito, gaps econômicos, potências em ascensão e outras em decadência.
  • Os vencedores de revoluções, ao invés de redistribuir igualmente o poder, acabam tomando tudo para si. Isso se repete muitas vezes na história
  • Imprimir dinheiro não aumenta a riqueza (aumentar a produtividade, sim), só gera inflação, que acabam com qualquer ganho. Desigualdades econômicas podem se tornar irreconciliáveis.
  • Há 5 tipos de guerra. Comercial, tecnológica, geopolítica, financeira e militar.

  • Enquanto o Ocidente está cada vez mais preocupado com resultados de EBITDA trimestrais de suas empresas, países orientais como o Japão e a China pensam a longo prazo, ao longo de gerações. Um efeito são políticas de curto prazo (como imprimir dinheiro) em detrimento de ações estruturantes como educação, infraestrutura em geral, internet para pessoas carentes, que têm um grande retorno sobre investimento a longo prazo.
  • Dalio expõe 18 indicadores de países, como condições financeiras, conflitos internos e externos, inovação, educação e outros, que servem como um indicador da saúde do país. É uma analogia à saúde de uma pessoa, com indicadores como peso, exame de sangue, etc, e ele utiliza isso para balizar forecasts dos próximos 10 anos.
  • Um conflito interno aumenta a probabilidade de ocorrer conflito externo, pela nação estar mais fraca e vulnerável à ataques externos, e, por outro lado, pelo líder do país em questão querer polarizar o nacionalismo para manter o poder.
  • Taiwan continua sendo uma bomba relógio armada. Rússia e China historicamente se unem quando há inimigos comuns. A Ucrânia é a Taiwan da Rússia.
  • A diferença de poder entre China e EUA vem diminuindo.
  • Todo gestor tem dois portfolios: tudo vai correr bem x pode haver problema grande.
  • Há 30% chance de uma guerra militar com a China nos próximos 10 anos, assim como há 30% chance de ocorrer alguma guerra civil nos EUA.
  • Se coletivamente tivermos a visão clara desses problemas, podemos colaborar, usar nossos recursos, para evitar esses forecasts que se desenham.

Recomendação de leitura:
https://amzn.to/3332jMQ

Veja também:

Dica simples e efetiva de negociação: ouvir atentamente ao interlocutor

Segue uma dica simples e brilhante de negociação, por Chris Voss, negociador do FBI e autor de livros sobre o tema.

Ouça atentamente ao outro lado.

Só isso. Parece simples, mas não é. Quantas vezes nos vemos pensando na resposta a dar ou elaborando a próxima pergunta? Ouça de verdade o interlocutor. Tenha a curiosidade de escutá-lo com atenção, de realmente ouvir suas palavras e querer entender o seu ponto de vista, ao invés de querer impor o seu.

É uma dica tão importante que vou deixar um desenhinho para ilustrar.

A mesma dica também vale para reuniões de negócio, onde temos pessoas importantes do outro lado da tela (nesses tempos de reuniões remotas) ou mesmo cara-a-cara.

Esses dias, estive conversando com um fornecedor de serviços via Teams, e notei que, enquanto eu estava falando, ele estava mexendo no computador. Dava para perceber pelas luzes que refletem, e também pelo olhar. Achei desrespeitoso, é como estar conversando pessoalmente com alguém e este estar mexendo no celular.

Agora, uma razão científica para a dica. Através de equipamentos modernos de ressonância magnética, é possível verificar a atividade do cérebro. E um resultado é que a atividade aumenta com a palavra “eu”. A pessoa de quem mais gostamos no mundo somos nós mesmos. E, portanto, se estamos dedicando tempo de nossa vida para falar, nada melhor que o recipiente da mensagem esteja ouvindo!

Recomendação:

Negocie como se sua vida dependesse disso – Chris Voss

O livro contém essa e outras técnicas de negociação importantes para o mundo dos negócios e também no cotidiano.

https://amzn.to/34Vu37F

Dr. Strangelove e o erro de cálculo nuclear

O clássico filme “Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb”, de 1964, é uma comédia sem graça, extremamente sem graça, porém genial. Genial como tudo o que Stanley Kubrick fez. É um alerta que continua válido, ainda mais para os dias de hoje, de conflito militar com uma potência detentora de armas nucleares. No Brasil, o título é “Dr. Fantástico”.

Em linhas gerais, o filme conta a história de um general americano (o general Ripper) que ordena, por si só, o lançamento de uma bomba atômica de hidrogênio na União Soviética, através de um bombardeiro B-52 subordinado a ele. O general segue todos os procedimentos para designar a missão, e os códigos para os aviadores armarem a bomba, incluindo cortar comunicações com o mundo externo, exceto se recebessem um código secreto.

Outros oficiais notam o plano, e ordenam o general Ripper a abortar a missão: porém, ele se tranca em seu escritório e comete suicídio para não revelar o código.

Nessa situação, as autoridades máximas dos EUA e URSS se comunicam em suas respectivas salas de guerra, tentando encontrar meios de parar o lançamento da bomba. O Dr. Strangelove é um ex-cientista nazista, agora conselheiro do presidente americano (foi inspirado em pelo menos 4 cientistas da vida real).

No final, há um problema no lançamento da bomba, e o aviador caubói (!!) tenta de todos os jeitos lançar a bomba de hidrogênio na URSS. Será que ele conseguiu? Não vou contar, veja o filme.

Apesar de ser uma sátira, com uma série de piadinhas infames, há uma série de conceitos sérios e imensamente provocadores.

  • Era o auge da Guerra Fria EUA X URSS, com a ameaça de uma guerra nuclear pairando no ar (eita sensação de ‘deva ju’)
  • A doutrina do “MAD”, de “destruição mútua assegurada”, foi cunhada por John Von Neumann, brilhante matemático. Como tanto os EUA quanto a URSS possuem bombas atômicas, um único ataque de qualquer um dos lados causaria retaliação imediata do outro lado, e assim sucessivamente, escalando a guerra até a destruição total de ambas as potências – e do resto do planeta, em consequência
  • Esse balanço de poderes é um dos temas principais da Teoria dos Jogos, ramo de conhecimento que lida com decisões entre dois ou mais jogadores, e teve o próprio Von Neumann como um dos fundadores
  • Uma forma assustadora de quebrar esse equilíbrio é o com “First Strike”. Um primeiro ataque, completamente devastador de um dos lados, de forma a aniquilar o inimigo, nocautear, não deixar pedra sobre pedra. Aliás, essa era a hipótese do General Ripper: dar o primeiro passo e, diante da certeza do lançamento da bomba inicial, obrigar os EUA a fazer um superataque e destruir a URSS

Interlúdio: no espírito das piadinhas sem noção do filme, o First Strike lembra o lema do Cobra Kai, os vilões do Karatê Kid: “Strike first, strike hard, no mercy”!

  • Outro conceito importante é o do “erro de cálculo”. Embora as grandes autoridades de ambos os países tenham consciência da doutrina MAD, pode ser que haja algum erro de cálculo no caminho. Alguém como o General Ripper pode burlar o sistema de forma a lançar a bomba por si só, ou algum outro problema do tipo. Por incrível que pareça, não é uma hipótese tão improvável assim. Quem garante que armas nucleares de dezenas de anos atrás, da extinta URSS, estejam em boas mãos nos dias de hoje? E quem garante que experimentos nucleares na Coréia do Norte de hoje não estão sujeitos a erros de cálculo?

O filme, além de ser um sucesso de crítica e público, teve o efeito de alertar autoridades dos EUA e de outros países, que acabaram reforçando os sistemas de segurança dessas armas capazes de mudar o mundo.

Trivia:

  • Como era usual, Kubrick fez uma pesquisa extremamente detalhada para retratar fidedignamente aeronaves, bombas e procedimentos de segurança
  • A fim de instigar o ator George Scott a fazer cenas engraçadas, Kubrick o enganou. Disse para performar exageradamente, porque seriam só treinos antes da versão final – porém, foram exatamente essas as cenas utilizadas. Scott, enfurecido, prometera nunca mais trabalhar com o diretor
  • Kubrick entrou com processo para atrapalhar um filme rival, Fail Safe, que tinha temáticas semelhantes. Deu certo, Dr. Strangelove foi lançado 9 meses antes de Fail Safe, que não teve muita repercussão
  • Kubrick é o meu cineasta favorito. O extraordinário “2001, Uma Odisseia no Espaço”, é o meu filme favorito de todos os tempos, mesmo tendo assistido dezenas de outras produções modernas, na era da Netflix. Gênio, obssessivo, perfeccionista.

Veja também:

O mundo é não-linear. Erros de cálculo ou alguns poucos eventos súbitos podem mudar o rumo de todo o futuro. Vide dois exemplos abaixo.

Sobre MAD e First Strike:

https://en.wikipedia.org/wiki/Pre-emptive_nuclear_strike#:~:text=First%20strike%20capability%20is%20a,left%20unable%20to%20continue%20war.

https://en.wikipedia.org/wiki/Mutual_assured_destruction

Manufacturing summit

Participei do Manufacturing Summit 2022, discutindo sobre #advancedanalytics e #AI.

Alguns temas principais abordados:

– A cada dia, mais sensores estão gerando dados, e bases estão sendo digitalizadas e integradas;

– Por outro lado, métodos analíticos avançados e AI estão cada vez mais acessíveis, por avanços em software e hardware;

– Existe uma tendência mundial de centros de excelência, para acelerar a transformação digital, agregar valor de forma eficiente e colher ganhos;

– Começar pequeno, agregar valor, mostrar trabalho, e isso vai retornar em demandas cada vez mais nobres, um ciclo virtuoso;

– Além de agregar valor diretamente com projetos, também é possível dedicar parte do tempo para treinamentos, eventos e mentoria de analistas das áreas de negócio da empresa;

– Por fim, ter em mente que a otimização de recursos, aumento de produtividade, etc, vai retornar para o consumidor final e a sociedade como um todo, na forma de um produto mais barato e sustentável.

Agradeço pelo convite, e estou à disposição de quem quiser trocar experiências.

Conhece algum gênio na área de Advanced Analytics / Data Science?

Alguém apaixonado por números e por aplicações na vida real?
Divulgue esta vaga para ele!

A gigante Klabin S.A., do setor de papel e celulose, está montando um time de altíssimo nível para os enormes desafios de otimização combinatória, simulação de eventos discretos, inteligência artificial, data science e temas correlatos, tanto na indústria quanto na área florestal.

Procuramos alguém com imensa vontade de implementar modelos na prática, agregar valor de verdade, devorar livros e liderar esta revolução que está chegando!

(É uma vaga diretamente no time que gerencio).

Link:

https://www.linkedin.com/jobs/view/2954724699/?refId=54Up20t6Ro%2B9IToUtwhmlg%3D%3D