Para que servem os autovetores?

Para te deixar multi-milionário? É verdade, pelo menos para os criadores do Google. O algoritmo PageRank basicamente encontra autovalores e autovetores.

No curso de Álgebra Linear, os professores ensinam autovetores conforme a equação da figura.

A grande interpretação da equação é que são a solução de problemas que referenciam a si mesmos.

A ideia básica do Google é simples. Ao invés de rankear os inúmeros sites da internet manualmente (como eram outros engines da época), ela recorre ao número de citações.

Se tiver muitos sites importantes com link para o meu site, o meu site também se torna importante.

Então é só contar os links, correto?

Não. Porque um site porcaria pode estar gerando um monte de links para enganar o sistema.

Como eu sei que o site é importante, sendo que ele é importante porque outros sites dizem que ele é importante?

Quem avalia os avaliadores?

É um problema autorrefenciável… exatamente o problema dos autovalores e autovetores.

O PageRank mostrou-se inúmeras vezes superior aos demais buscadores da época, e foi o primeiro passo para a empresa de Sergei Brin e Larry Page (o Page do PageRank, além de significar página) se tornar o que é hoje.

E eu, demorei 20 anos para entender a importância dos autovetores… tarde demais para criar um Google.

Veja também:

https://ideiasesquecidas.com/2015/08/15/logaritmos-neperianos/

https://ideiasesquecidas.com/2016/05/15/negativo-x-negativo-positivo-por-que/

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s