Como cumprir as metas de 2020

Nesta virada de ano, algumas reflexões para ajudar na disciplina de perseguir metas.

Em primeiro lugar, é importante definir as metas. Se você não souber para onde quer ir, ninguém mais saberá.

As metas devem ser desdobradas em sub-metas, tais como pontos de referência num mapa.

Elas devem ser específicas, alcançáveis e mensuráveis. E com prazo.

De nada adianta ter vários desejos, e nenhuma disciplina em persegui-los. Toda a lista deve ser transformada numa ROTINA, a ser executada diariamente ou semanalmente.

Ex. Uma meta de perder peso pode ser desdobrada numa rotina diária, como não consumir refrigerantes e snacks, por exemplo. Ou, digamos, uma meta de escrever um blog, desdobrar para uma postagem por semana. Outra dica é, para cada dia que você executa a rotina, colocar um xis num calendário.

Apurar o resultado a cada 3 meses, até o final do ano. No final de 2020, fazer uma avaliação do que foi cumprido e do que não foi, e os motivos.

Ideias não movem montanhas

“As ideias não movem montanhas. Escavadeiras, sim. As ideias orientam ondem as escavadeiras devem ir e o que devem fazer” – dizia o grande Peter Drucker.

Lembrei da excelente frase acima. Esta semana, estou mudando de apartamento. Não estou acostumado a trabalhos físicos. Meia hora carregando caixas e já estou exausto, pedindo água.

Uma mudança não tem muita teoria, e sim, muita prática. Retirar as coisas dos armários, limpar, colocar em malas e caixas, transportar, desempacotar e arrumar no novo local. Não tem otimização, não tem Analytics nem modelos avançados, é muita força física mesmo.

No mundo, ir para a prática sem teoria é ruim, porque certamente haverá desperdício de esforço físico – e tempo e dinheiro para consertar os erros. Porém, teoria demais sem prática também é ruim, porque é impossível fazer acontecer algo só com ideias, sem bulldozers; só inspiração, sem transpiração; só com modelos, sem execução.

Qual seria uma boa proporção?

Numa obra de engenharia, o custo com projetos e planejamento é de uns 5% a 10% dos custos totais, normalmente.

Outra analogia é com o cérebro. O cérebro de um humano adulto consome uns 20% da energia total do corpo. Teria que descontar daí as funções básicas para manter o corpo humano (ex. regular temperatura, enxergar, controlar movimentos), porque não são exatamente funções de planejamento. Não tenho muita ideia de quanto isso exige, mas sei que um Albert Einstein não precisava comer muito mais do que uma pessoa comum. Se fazer cálculos complexos e viajar aos confins do espaço-tempo necessitasse de grande energia química, Einstein teria que comer como o nadador recordista olímpico Michael Phelps (3 sanduíches, omelete com 5 ovos, cereais, torradas e 3 panquecas, só no café da manhã!).

Baseado nas informações acima, sem ciência alguma e dando um chutão, eu diria que o cérebro também consome em torno de 5% a 10% da energia de uma pessoa em funções de teoria e planejamento, e o resto em execução (manter-se vivo).

E agora, permita-me voltar a carregar as caixas!

https://www.brainfacts.org/brain-anatomy-and-function/anatomy/2019/how-much-energy-does-the-brain-use-020119

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Pequim2008/Noticias/0,,MUL723450-16072,00-MICHAEL+PHELPS+E+SUA+ABSURDA+DIETA+DE+CALORIAS+DIARIAS.html

Estrela em VBA

Estrela Geométrica – em VBA

Ferramentas em Excel-Vba

Como é época de Natal, a seguir um código para desenhar uma estrela só utilizando segmentos de reta e geometria, para alegrar as festas.

Imagine duas retas perpendiculares.

Cada reta recebe N divisões.

Agora, uma o primeiro ponto do eixo X ao ponto logo acima do meio do eixo Y, o segundo ponto do eixo X ao próximo ponto acima do eixo Y, e repita até o fim.

O comando VBA para adicionar uma linha é, basicamente:

ActiveSheet.Shapes.AddLine(x0, y0, x1, y1)

E tem outros comandos para colorir, informar a espessura e controlar. Mas, basicamente, o único comando especial é esse de criar retas.

O resultado não impressiona muito. Porém, se aumentarmos o número de pontos, fica mais divertido.

Com 10 pontos:

Com 20 pontos:

Com 35 pontos:

Não sei exatamente o nome desta curva, porém, a técnica é muito conhecida na matemática.

Planilha para download no Github: https://github.com/asgunzi/EstrelaGeometrica

Ver o post original

Três dicas para melhorar a oratória

1. Fale alto e claro, com força e convicção.

2. Pronuncie todas as sílabas. Não engula vogais nem consoantes em seu discurso.

3. Postura. Não fale de braços cruzados ou de costas para o seu interlocutor. Fale de frente, peito aberto, sem medo.

São observações simples na teoria, porém difíceis de executar na prática. Treine bastante e se policie em qualquer conversa importante.

O poder ilimitado corrompe de forma ilimitada?

O anel de Gyges

Uma das passagens mais intrigantes da República de Platão diz respeito à lenda do anel de Gyges.

É sobre um camponês, Gyges, que descobre um anel mágico. Girando o anel para um dos lados, ele ficava invisível, girando para o outro lado, Gyges voltava a ficar visível.

Esta é uma metáfora para o poder ilimitado. Poder subtrair o que quiser sem despertar suspeitas. Poder atacar quem quiser sem sofrer consequências. Poder fazer o que quiser sem ser punido.

Gyges utilizou o anel para seduzir a rainha, assassinar o rei e assumir o trono do reino.

O diálogo platônico, entre Glauco (irmão mais velho de Platão) e Sócrates, fazia uma questão que está aberta até hoje, e vai ficar aberta pelo resto da existência da humanidade: uma pessoa com alta moral se corromperia com poder ilimitado?

Uday Hussein

Uday Hussein foi um exemplo de pessoa que nasceu com poder ilimitado. Acompanhe:

  • Uday era o mais velho dos dois filhos de Saddam, e como tal, esperava suceder seu pai um dia
  • Quando Uday era jovem, Saddam levava ele o seu irmão Qusay para assistir prisioneiros serem torturados ou executados. Uday em particular saboreava a experiência
  • Imagine o garoto desagradável, mau, super rico no ensino médio, mas agora imagine que ele tem o poder de seus guarda costas para bater em você até virar uma massa de sangue, ou matar você, ou matar você e toda a sua família, num estalar de dedos.
  • Na faculdade, Uday de tempos em tempos via uma garota excepcionalmente bonita, falava para seus guarda-costas trazerem ela para o seu quarto, onde a estuprava e às vezes falava para os guarda-costas a matarem.
  • Ele às vezes ia para um clube e se ele visse uma garota atrativa dançando com um homem, e isto provocasse ciúmes, ele mandava matar o homem
  • Ele matou um homem por recusar a deixar Uday dançar com a sua esposa
  • Ele ficava de pé na varanda com binóculos, e quanto encontrava uma moça bonita ele mandava seus homens pegarem para ele. Uma vez ele fez isto com as filhas de 12 e 14 anos de um homem, e ele não tinha opção senão aceitar ou todos morreriam
  • Ele era obcecado por tortura e amava experimentar diferentes formas, incluindo usar uma dama de ferro que ele possuía, e colocando alguém sozinho numa sala com seu tigre mascote faminto
  • Ele matou o amigo/guarda-costas de seu pai porque Uday suspeitou que ele estava arrumando prostitutas para o seu pai
  • Uma vez ele matou um homem que não o saudou
  • Até Saddam estava assustado por Uday ser tão cruel e negligente, tanto que ele apontou o irmão mais novo Qusay para ser seu sucessor no lugar de Uday
  • Isto fez Uday incrivelmente ciumento, e ele fez coisas como pegar uma garota que ele ouviu dizer que dormira com Uday, trazer a ele, violentá-la e marcá-la permanentemente com um U
  • Para dar a ele alguma coisa para fazer, Saddam apontou Uday como o chefe do comitê Olímpico. Uday fez atletas que performavam mal serem torturados, às vezes trancando-os em arcas de ferro por três dias
  • Uday era notório no Iraque todo e universalmente odiado por todos
  • Uday e Qusay foram ambos mortos por um ataque aéreo das tropas americanas em 2003
  • Ninguém ficou triste

A minha provocação é: será que todos nós seríamos tão maus quanto Uday, se tivéssemos nascido com o mesmo poder?

Fonte do relato sobre Uday: site Wait but Why

O canalha gosta de ética

Uma reflexão interessante do prof. Clóvis de Barros Filho.

Até o sujeito mais canalha e anti-ético do mundo quer um que o mundo seja um lugar ético.

Imagine se todos fossem canalhas como o canalha em questão. Este não poderia confiar em nenhuma outra pessoa. Sua vida seria um inferno.

Para o canalha-mor se dar bem, ele precisa que as outras pessoas sejam éticas e só ele canalha.

Se até o canalha torce para que o mundo seja um lugar ético, as pessoas de bem, mais ainda!

As Linguagens de Analytics

No último fórum da Informs (a mais importante associação americana de Operations Research), em Chicago, citaram Pythons umas 6 vezes, Excel também umas 6 vezes, Java uma vez (de um fornecedor que disse que estava mudando para Python), R nenhuma mênção.

Isto mostra a força do Python como a língua franca do Analytics da atualidade.

O pessoal que citou Excel o fez metade das vezes para falar mal, outra metade para dizer que o usuário final utiliza. Isto mostra a resiliência do Excel, que apesar de todas as críticas, continua firme e forte nas grandes corporações – por seu poder e facilidade de uso. Há até uma piada que diz: “Todo o sistema financeiro mundial é baseado em Excel”.

Um último comentário: no final das contas, não interessa muito a linguagem, e sim ter uma base teórica forte e capacidade de execução. Linguagens e ferramentas vêm e vão. Até hoje tem gente utilizando Fortran muito bem, por exemplo.

Jiro, sonhos de sushi e a busca pela perfeição

Recomendo fortemente o documentário “Jiro – dreams of sushi”, disponível na Netflix.

É um documentário surpreendente. É monótono e até chato. De certa forma, o ritmo segue o passo do protagonista da história, Jiro Ono, um mestre do sushi – um ritmo lento e constante em busca da perfeição, até chegar ao melhor sushi do mundo.

Como pode algo tão simples quanto um sushi ser difícil?

O sr. Jiro hoje tem 94 anos (na época do documentário, tinha 85 anos). O seu restaurante fica numa estação do metrô de Tóquio. Tem apenas 10 lugares, nem tem banheiro. Só atende com reservas, e o cliente não pode chegar atrasado – as portas são fechadas e ele fica de fora (o valor da refeição é passado no cartão mesmo se o cliente não entrar).

Este pequeno restaurante serve apenas sushi – não há entradas, acompanhamento, nada.

O preço? 30 mil ienes. Dá uns US$ 275, ou, como o real não vale nada nos dias de hoje, mais de 1.000 reais! Tudo isso para um serviço de 20 peças de sushi, servidos sequencialmente. O cliente fica em torno de meia hora no local, o que o torna um dos restaurantes mais caros do mundo, se fizer a conta por minuto.

Este pequeno restaurante ganhou nota máxima no guia Michelin e o documentário da Netflix, tornando o lugar famoso mundialmente.

O sr. Jiro começa a contar a sua história, e como passou a dedicar a sua vida a um único objetivo: fazer sushis. Ele conta como trabalhava de sábado a sábado, de manhãzinha até a noite, aperfeiçoando cada detalhe de seu trabalho, por mais trivial que seja.

O aprendiz do restaurante de Jiro deve ficar 10 anos fazendo tarefas menores, como massagear o polvo que será servido, por 50 minutos. O polvo é um animal com uma carne borrachuda, e o objetivo de massagear é amolecer o mesmo. Após 10 anos exaustivos fazendo tarefas repetitivas, o aprendiz pode finalmente começar a cozinhar o seu primeiro prato: ovo. Após alguns anos dominando a arte de cozinhar um ovo, é permitido avançar em outros pratos.

A régua alta de qualidade de Jiro se estende aos seus fornecedores. O fornecedor de camarão só trabalha com camarão. O fornecedor do polvo só trabalha com polvo. O fornecedor do salmão só trabalha com salmão. Cada um deles é o maior especialista em suas áreas, e não aceitam menos do que o melhor. E nem vendem o produto para qualquer um. Qual o sentido de ter o melhor arroz se o cliente não souber fazer o prato?

Agora no fim de 2019, o restaurante de Jiro foi retirado do guia Michelin. Não é que foi rebaixado no guia, e sim, foi retirado. Não foi por questão de diminuição da qualidade. O motivo é que é impossível para o consumidor comum fazer uma reserva no restaurante. A fila tem sido para mais de um ano de espera, tornando impossível para o consumidor comum saborear o melhor sushi já produzido na face da Terra!

https://www.netflix.com/title/70181716

Quarteirão com queijo

Quando adolescente, sempre quis saber o significado do sanduíche “Quarteirão com queijo”. Quarteirão? Um quarteirão de rua? Seria por ser um lanche grande? Mas nem é tão grande assim, o quarteirão é menor que o Big Mac…

Não lembro em que circunstâncias descobri o termo “quarter pound” para um sanduíche americano, mas aí sim faz sentido. 1 Pound = meio quilo, mais ou menos. Um quarto de meio quilo dá 125 g, que é o peso de um hambúrguer (grande) no sanduíche.

Pensando bem, até que “Quarteirão com queijo” não é um nome tão ruim assim.

O curioso é que tem uma piadinha no clássico filme “Pulp Fiction”. O Samuel Jackson diz para o John Travolta: “Sabe por que não tem o quarter pound na França? É porque lá eles usam o sistema métrico!”.

Só que os gringos do Pulp Fiction não contavam com a astúcia dos brasileiros, que transformaram um quarto de pound em um quarteirão com queijo!

VINCENT
Alright, well you can walk into a movie theatre in Amsterdam and buy a beer.
And I don’t mean in a paper cup. I’m talkin’ ‘bout a glass of beer. And in
Paris, you can buy a beer at MacDonald’s. You know what they call a Quarter
Pounder with Cheese in Paris?
JULES
They don’t call it a Quarter Pounder with Cheese?
VINCENT
No, man, they got the metric system there, they wouldn’t know what the fuck
A Quarter Pounder is.
JULES
What’d they call it?
VINCENT
They call it Royale with Cheese.

Ranking de educação PISA 2018

Hoje, Dezembro de 2019, foi publicado o resultado do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) referente a 2018 – principal avaliação de educação básica do mundo.

Fatos a notar:

1- A China está em primeiro nos três rankings (Leitura, Matemática e Ciências). Na verdade, a China dá uma roubadinha no ranking. Ela como um todo não compete, mas sim, somente algumas províncias (Pequim, Xangai, Jiangsu e Guangdong).

2 – O impressionante mesmo é a evolução da China. No PISA 2015 (é realizado a cada 3 anos), a China estava em 6º em matemática, 27º em Leitura e 10º em Ciências (e com o mesmo critério de só ter algumas cidades na avaliação)

3 – Em geral, os países do extremo oriente são obcecados por educação, por tirar 10 em todas provas. Vide Matemática, por exemplo, os 7 primeiros são do oriente.

4 – Nota-se também que a Estônia, um país pelo qual ninguém dá nada, aparece em boas posições nos três rankings. A Estônia deu um salto de modernização, com uma mentalidade bastante moderna e digital nos últimos anos. Fiquem de olho. (Obrigado ao Marcos Melo por notar isto).

5 – Não é surpresa para ninguém, mas abaixo dos orientais, temos os países europeus, Canadá e outros do primeiro mundo.

6 – O Brasil continua sendo um destaque negativo, nas últimas posições e até caindo em relação ao estudo de 2015. Nenhuma surpresa.

7 – Um grande destaque negativo é a Argentina. Outrora vista como o país mais culturalmente avançado da América Latina, hoje foi superado pelo Brasil (no Pisa 2015, estava à frente). Superado não é a palavra correta, na verdade, afundou mais do que o Brasil no quesito educação.

Reproduzo abaixo o PISA 2015, por conveniência:

Links:

https://educacao.uol.com.br/noticias/2019/12/03/brasil-cai-em-ranking-mundial-de-ciencias-e-matematica-e-empaca-em-leitura.htm

https://ideiasesquecidas.com/2018/09/15/quem-esta-no-ranking-mundial-de-educacao/